Polícia

Pescadores são flagrados pescando em local proibido e multa chega a R$ 4,2 mil

Policiais militares ambientais de Porto Murtinho flagraram seis pescadores, durante patrulhamento na Operação Ictiofauna, em local ilegal para pesca, no rio Apa, na última sexta-feira (9). Conforme divulgou a PMA (Polícia Militar Ambiental), três pescadores eram pecuaristas, de 26, 37 e 47 anos, residentes em Maracaju, um aposentado de 65 anos e um operador de […]

Fábio Oruê Publicado em 10/10/2020, às 18h51

Local onde pescadores foram flagrados. (Imagem: PMA)
Local onde pescadores foram flagrados. (Imagem: PMA) - Local onde pescadores foram flagrados. (Imagem: PMA)

Policiais militares ambientais de Porto Murtinho flagraram seis pescadores, durante patrulhamento na Operação Ictiofauna, em local ilegal para pesca, no rio Apa, na última sexta-feira (9).

Conforme divulgou a PMA (Polícia Militar Ambiental), três pescadores eram pecuaristas, de 26, 37 e 47 anos, residentes em Maracaju, um aposentado de 65 anos e um operador de caixa, que moram em Bela Vista e um pescador profissional, de Porto Murtinho.

Eles foram abordados quando pescavam na Corredeira do Apa (local proibido para a pesca), devidamente sinalizada a proibição, a 105 km do município de Porto Murtinho, distante 444 km de Campo Grande.

Com eles foram apreendidos oito varas com molinetes e caixa de pesca com anzóis. As normas proíbem e consideram crime, a pesca a 200 metros da montante e da jusante das cachoeiras e corredeiras, pois é alta a vulnerabilidade dos cardumes nesses locais dos rios, principalmente com as condições de seca em que estão os rios.

Os pescadores foram autuados administrativamente e foram multados em R$ 700,00 cada um. Eles iniciavam a pescaria e ainda não tinham capturado nenhum pescado, porém, responderão por crime ambiental, com pena prevista de um a três anos de detenção.

Ainda durante o patrulhamento foram retiradas duas cordas de espinheis, medindo 60 metros com 20 anzóis cada uma e 13 anzóis de galho, que estavam armados no leito do rio. Os infratores que armaram os petrechos ilegais não foram localizados.

Jornal Midiamax