Polícia

Ofensiva contra o CV mira esquema de mais de R$ 20 milhões e cumpre mandados em MS

Mirando o esquema financeiro da facção criminosa Comando Vermelho, a Polícia Civil do Rio de Janeiro deflagrou a Operação Link, com mandados a serem cumpridos também em Mato Grosso do Sul. O esquema teria movimentado cerca de R$ 20 milhões. A operação é coordenada pelo MPRJ (Ministério Público Federal do Rio de Janeiro), pelo delegado […]

Thatiana Melo Publicado em 15/10/2020, às 08h40 - Atualizado às 12h29

(Reprodução G1)
(Reprodução G1) - (Reprodução G1)

Mirando o esquema financeiro da facção criminosa Comando Vermelho, a Polícia Civil do Rio de Janeiro deflagrou a Operação Link, com mandados a serem cumpridos também em Mato Grosso do Sul. O esquema teria movimentado cerca de R$ 20 milhões. A operação é coordenada pelo MPRJ (Ministério Público Federal do Rio de Janeiro), pelo delegado Leonardo Borges.

São cumpridos 8 mandados de prisão e 30 de busca e apreensão no Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul. Quatro suspeitos foram presos, mas seus nomes não foram divulgados e não se sabe qual o papel deles dentro da facção.

Foi determinado o bloqueio de R$ 12 milhões nas contas de suspeitos e o sequestro de bens, segundo informações passadas da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Um dos principais alvos da ação seria um comerciante de São Paulo que movimentou mais de R$ 6 milhões em depósitos fracionados que vieram de várias localidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. O dinheiro era da venda de drogas que era depositado em espécie em agências bancárias — muitas dentro das próprias favelas dominadas pelo Comando Vermelho — em “contas de passagem”.

Os depósitos variavam de R$ 2 mil a até R$ 80 mil e eram feitos por moradores de comunidades de Japeri, São Gonçalo, Cabo Frio e Volta Redonda, obrigados a participar do esquema.

Em seguida, o dinheiro era repassado para suspeitos de São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul. A polícia informou ainda que a renda dos envolvidos é incompatível com a quantia que eles movimentavam. O dinheiro era lavado por empresas de fachada.

Jornal Midiamax