Polícia

Amigos lamentam morte de policial em acidente com advogado embriagado

Nas redes sociais amigos do soldado da Polícia Militar, de 25 anos, Luciano Abel de Carvalho, lamentam a morte prematura do militar, na manhã desta segunda-feira (19), na Avenida Ministro João Arinos, em Campo Grande. O advogado que causou a morte de Luciano acabou preso. Sem acreditar, muitos deixaram na página pessoal do Facebook recados […]

Thatiana Melo Publicado em 19/10/2020, às 09h37 - Atualizado às 15h04

(Reprodução Facebook)
(Reprodução Facebook) - (Reprodução Facebook)

Nas redes sociais amigos do soldado da Polícia Militar, de 25 anos, Luciano Abel de Carvalho, lamentam a morte prematura do militar, na manhã desta segunda-feira (19), na Avenida Ministro João Arinos, em Campo Grande. O advogado que causou a morte de Luciano acabou preso.

Sem acreditar, muitos deixaram na página pessoal do Facebook recados de tristeza e condolências à família do soldado. Algumas mensagens de revolta pelo acidente ter sido provocado por uma pessoa embriagada. “Luciano Nunes não acredito que você se foi, não dá para acreditar”, diz uma das mensagens.

“Fala para mim que é mentira, acordar com uma notícia dessa. Eu não consigo acreditar porque você”, fala uma outra mensagem. Outro amigo descreve esta segunda (19), como um dia dos mais dolorosos e triste.

Uma outra mensagem mostra a revolta pelo acidente ter sido provocado por uma pessoa embriagada, “Bando de f* sem responsabilidade. Enche o c* de cachaça e sai dirigindo pelas ruas para tirar vidas”.

O acidente que acabou na morte de Luciano aconteceu por volta das 4 horas desta segunda, quando o militar estava na sua motocicleta, na rua Centauria para entrar na Avenida Ministro João Arinos e o carro Cobalt, de cor branca, estava vindo na avenida e quando a motocicleta atravessou houve a colisão. Com a colisão, o corpo do militar foi parar no canteiro central.

O militar morreu no local. O motorista tentou fugir a pé depois de abandonar o veículo no meio da avenida, mas foi alcançado perto da Cepol e preso. O motorista não tinha CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e estava embriagado, sendo que o teste do etilômetro deu como resultado 0,79 mg/l.

Jornal Midiamax