Polícia

Ministros de Bolsonaro visitam acampamentos do tráfico destruídos em operação na fronteira

Ministros do presidente Jair Bolsonaro se reuniram nesta segunda-feira (24) com autoridades do Paraguai, para acompanhar o desfecho da Operação Nova Aliança XXII, que vem sendo realizada em parceria entre as forças de segurança dos dois países, como forma de sufocar o tráfico internacional de drogas. As autoridades estiveram em acampamentos destruídos na região de […]

Renan Nucci Publicado em 24/08/2020, às 15h19 - Atualizado às 16h24

Autoridades brasileiras e paraguaias durante visita a acampamento. Foto: Divulgação
Autoridades brasileiras e paraguaias durante visita a acampamento. Foto: Divulgação - Autoridades brasileiras e paraguaias durante visita a acampamento. Foto: Divulgação

Ministros do presidente Jair Bolsonaro se reuniram nesta segunda-feira (24) com autoridades do Paraguai, para acompanhar o desfecho da Operação Nova Aliança XXII, que vem sendo realizada em parceria entre as forças de segurança dos dois países, como forma de sufocar o tráfico internacional de drogas. As autoridades estiveram em acampamentos destruídos na região de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia localizada na linha internacional com o município sul-mato-grossense de Ponta Porã.

O general Augusto Heleno Ribeiro Pereira, ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos Baptista, general e ministro-chefe da Secretaria de Governo, Rolando Alexandre de Souza, diretor-geral da Polícia Federal, e André Mendonça, ministro da Justiça e Segurança Pública, foram recepcionados por Arnaldo Giuzzio, ministro da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai). 

A operação vem sendo realizada há dez dias pela Senad, com apoio das Forças Armadas e Ministério Público do Paraguai, juntamente com a Polícia Federal do Brasil. Contando com policiamento aéreo de dois helicópteros da PF, foram realizadas incursões nas áreas de Alpasa, Chiriguelo e Maria Auxiliadora. Até nesta segunda-feira, haviam sido destruídos 127 hectares de cultivo de maconha, bem como 63 acampamentos.

Foram destruídos também 89,6 toneladas da droga já preparada para a venda, em um prejuízo ao crime organizado que se aproxima dos R$ 70 milhões. Desde 2018, já foram realizadas cinco edições da Nova Aliança, com foco nos departamentos de Amambay, Canindeyú e São Pedro, próximos de Mato Grosso do Sul e grandes produtores de maconha. Ao menos 3.900 toneladas da droga foram erradicadas.

Jornal Midiamax