Polícia

Membros do PCC são presos em casa que funcionava como ‘escritório de homicídios’

Três integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) foram presos na manhã desta terça-feira (8) em Rio Brilhante, distante 166 km da Capital. Eles tinham mandados de prisão em aberto expedidos pelo Ceará e Distrito Federal. Na casa que funcionava como “escritório” para planejamento dos crimes, foram encontrados documentos de um dos líderes […]

Danielle Errobidarte Publicado em 08/12/2020, às 17h53 - Atualizado em 09/12/2020, às 12h31

Muro de casa estava pintado com frases da facção. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Muro de casa estava pintado com frases da facção. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil) - Muro de casa estava pintado com frases da facção. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Três integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) foram presos na manhã desta terça-feira (8) em Rio Brilhante, distante 166 km da Capital. Eles tinham mandados de prisão em aberto expedidos pelo Ceará e Distrito Federal. Na casa que funcionava como “escritório” para planejamento dos crimes, foram encontrados documentos de um dos líderes da facção.

A Polícia Civil de Rio Brilhante recebeu informações do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) de que a residência estava sendo usada para abrigo dos três criminosos, com suspeita de estarem com arma de fogo e motocicletas furtadas.

Chegando ao local, os policiais encontraram uma motocicleta Honda CG 125 com placa levantada e foi constatado que havia registro de furto. No muro da casa havia pichações com frases que remetiam ao PCC.

Dois deles entregaram documentos falsos e, após descoberta, confessaram que estavam com mandado de prisão em aberto por homicídio no Distrito Federal. O terceiro, era foragido do estado do Ceará. Entretanto, nenhuma arma de fogo foi encontrada. Além do veículo, os bandidos portavam 2 gramas de cocaína e 3 gramas de maconha.

Na casa também estavam documentos pessoais de um dos líderes da facção criminosa, com o cargo de “disciplina”. Os três presos negaram que estavam arquitetando homicídios e afirmaram estar na cidade em busca de trabalho. Ainda disseram que o líder da facção permitiu que eles ficassem na casa, mas que a motocicleta foi deixada por um desconhecido.

Eles foram presos em flagrante por receptação e, dois, também por uso de documento falso. Todos responderão pelo crime de posse de droga para consumo pessoal. Apesar de não ter sido encontrado na casa no momento da abordagem, o líder da facção será investigado pelo crime de favorecimento pessoal.

Jornal Midiamax