Polícia

Marcado interrogatório de quadrilha que matou e enterrou rapaz em tribunal do crime do PCC

Está marcada para o dia 2 de dezembro a audiência para interrogatório de 5 acusados do homicídio de Sandro Lucas de Oliveira, crime ocorrido em dezembro de 2019. Além deles, serão ouvidas testemunhas de acusação sobre o caso, que teria sido um tribunal do crime do PCC (Primeiro Comando da Capital). O grupo foi preso […]

Renata Portela Publicado em 18/11/2020, às 13h00

Sidnei teria matado Sandro a facadas (Divulgação PC)
Sidnei teria matado Sandro a facadas (Divulgação PC) - Sidnei teria matado Sandro a facadas (Divulgação PC)

Está marcada para o dia 2 de dezembro a audiência para interrogatório de 5 acusados do homicídio de Sandro Lucas de Oliveira, crime ocorrido em dezembro de 2019. Além deles, serão ouvidas testemunhas de acusação sobre o caso, que teria sido um tribunal do crime do PCC (Primeiro Comando da Capital).

O grupo foi preso em junho deste ano, após investigação do caso. Os cinco acusados de cometerem o crime que devem ser ouvidos agora são Rafael Aquino de Queiroz, o ‘Professor’, Adson Vitor da Silva Farias, conhecido como ‘Ladrão de Almas’, Eliezer Nunes Romero, o ‘Maldade’, Eder de Barros Vieira, o ‘Mistério’ e Sidnei Jesus Rerostuk, o ‘Capetinha’.

Conforme a denúncia apresentada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), no dia 8 de dezembro de 2019 o grupo manteve Sandro em cárcere privado. Isso teria ocorrido em um barraco na Vila Bordon. A princípio, por volta das 21 horas daquele dia, Sandro foi sequestrado pelo grupo a mando de Eder.

Ele foi levado até o barraco, onde foi mantido em cárcere privado e então condenado no tribunal do crime. Ainda conforme o MPMS, Sandro foi acusado de se envolver com o Comando Vermelho, facção rival ao PCC. Após o julgamento, ele foi assassinado a facadas por Sidnei.

Após o crime, o corpo de Sandro foi jogado em uma fossa seca e os restos mortais só foram encontrados mais de 7 meses depois.

Jornal Midiamax