Polícia

Mãe acusada de pisotear filha é liberada após ser ouvida pela polícia

A mulher de 39 anos, detida pela Polícia Militar após agredir a filha de 14 anos, foi levada para a delegacia e ouvida nesta quinta-feira (16). A mulher foi liberada e responderá por maus-tratos, também resistência à prisão. As duas filhas, de 7 e 14 anos, foram levadas pelo Conselho Tutelar e estão abrigadas na […]

Dayene Paz Publicado em 16/07/2020, às 17h17 - Atualizado em 17/07/2020, às 11h10

Delegada Elaine explica que crianças foram ouvidas em depoimento especial. Imagem: Leonardo de França
Delegada Elaine explica que crianças foram ouvidas em depoimento especial. Imagem: Leonardo de França - Delegada Elaine explica que crianças foram ouvidas em depoimento especial. Imagem: Leonardo de França

A mulher de 39 anos, detida pela Polícia Militar após agredir a filha de 14 anos, foi levada para a delegacia e ouvida nesta quinta-feira (16). A mulher foi liberada e responderá por maus-tratos, também resistência à prisão. As duas filhas, de 7 e 14 anos, foram levadas pelo Conselho Tutelar e estão abrigadas na casa de uma tia.

Durante depoimento especial das meninas, a polícia constatou que a mais velha era vítima de agressões constantes. “As agressões e discussões ocorriam há algum tempo”, confirmou a delegada Elaine Benicasa, da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

A mulher foi flagrada embriagada, resistiu ao ser dada voz de prisão e teve que ser imobilizada pela PM, por isso responderá por resistência. Na viatura, ela chegou a ameaçar o companheiro de morte, caso contasse algo para a polícia. O pai teria confirmado as agressões.

O caso

As meninas fugiram de casa por volta das 5 horas da manhã desta quinta (16) após a mais velha ser espancada pela mãe. A adolescente de 14 anos teve as costelas quebradas, ao ser derrubada no chão e pisoteada.

As duas irmãs fugiram e foram buscar ajuda no pelotão da Polícia Militar das Moreninhas. O Corpo de Bombeiros foi chamado para socorrer a adolescente e levá-la para uma unidade de saúde devido à gravidade dos ferimentos. O Conselho Tutelar também foi acionado.

Jornal Midiamax