Polícia

Justiça nega liberdade para mulher que tentou matar outra incendiada após briga

Mulher de 27 anos, presa por tentar matar uma conhecida de 31 anos queimada em outubro de 2019, tentou liberdade mas não conseguiu o habeas corpus. O crime aconteceu na antiga rodoviária em Campo Grande, após as duas se envolverem em uma discussão. No pedido, a acusada tenta que a prisão seja convertida em domiciliar, […]

Renata Portela Publicado em 09/06/2020, às 09h59 - Atualizado às 11h22

Suspeita foi presa em flagrante (Arquivo)
Suspeita foi presa em flagrante (Arquivo) - Suspeita foi presa em flagrante (Arquivo)

Mulher de 27 anos, presa por tentar matar uma conhecida de 31 anos queimada em outubro de 2019, tentou liberdade mas não conseguiu o habeas corpus. O crime aconteceu na antiga rodoviária em Campo Grande, após as duas se envolverem em uma discussão.

No pedido, a acusada tenta que a prisão seja convertida em domiciliar, por conta da pandemia do coronavírus e por ter um filho menor de 12 anos. No entanto, o Judiciário entende que o crime cometido por ela foi praticado com violência e por isso não cabe a revogação da prisão preventiva nem concessão de prisão domiciliar.

Relembre o caso

A suspeita foi detida na tarde do dia 1º de outubro de 2019 pela tentativa de homicídio ocorrida durante a madrugada. A briga teria começado após a prisão de um rapaz de 29 anos, que traficava drogas no entorno da rodoviária antiga. As duas chegaram a ser levadas para a delegacia, assinaram um termo circunstanciado e foram liberadas.

A suspeita então ateou fogo na vítima, que foi levada para a Santa Casa com 50% do corpo com queimaduras de 2º e 3º graus. Ela chegou a ficar internada na área vermelha do hospital. A polícia informou que a briga poderia ter relação com disputa de facções criminosas para dominar o tráfico na região. No entanto, testemunhas revelam que a suspeita estaria com ciúmes do rapaz de 29 anos e por isso teria ateado fogo na vítima.

Jornal Midiamax