Polícia

Juiz entente legítima defesa e dá liberdade à mulher que matou ex-marido em MS

Na tarde de domingo (20), mulher de 55 anos e o companheiro, de 59 anos, ganharam liberdade provisória após serem presos em flagrante pela morte de Antônio Henrique de Souza Bezerra, de 64 anos. O caso aconteceu em Bataguassu, a 335 quilômetros de Campo Grande, após o idoso invadir a residência do casal e ataca-los […]

Renata Portela Publicado em 21/12/2020, às 08h20 - Atualizado às 15h03

Facas e pedra encontradas no local do crime (Divulgação)
Facas e pedra encontradas no local do crime (Divulgação) - Facas e pedra encontradas no local do crime (Divulgação)

Na tarde de domingo (20), mulher de 55 anos e o companheiro, de 59 anos, ganharam liberdade provisória após serem presos em flagrante pela morte de Antônio Henrique de Souza Bezerra, de 64 anos. O caso aconteceu em Bataguassu, a 335 quilômetros de Campo Grande, após o idoso invadir a residência do casal e ataca-los com uma barra de ferro e uma faca.

“Acorda que o Henrique veio me matar”. A frase foi dita pelo homem de 59 anos, durante o interrogatório policial. Ele contou à polícia que estava dormindo em casa quando o ex-marido da companheira chegou ao local armado com a barra de ferro e a faca e ela o gritou. Ao tentar defender a esposa, ele acabou esfaqueado no abdômen. “Tive a sensação que ia morrer”, disse.

Foi neste momento que a mulher também acabou entrando na briga, golpeou Antônio Henrique na cabeça e o esfaqueou. O juiz Vinicius Pedrosa dos Santos entendeu que o casal agiu em legítima defesa, sem histórico de serem violentos ou terem problemas com a Justiça, por isso concedeu a liberdade provisória.

Viraria estatística

Juiz entente legítima defesa e dá liberdade à mulher que matou ex-marido em MS
Homem foi morto a facadas após vítima reagir (Foto: Tiago Apolinário, Da Hora Bataguassu)

Na peça, o magistrado relembra que Antônio tinha histórico de violência doméstica contra a ex-mulher. Só em 2020 ele teria descumprido medida protetiva três vezes, em março, agosto e em 16 de dezembro. A última foi em 19 de dezembro, quando ameaçou e tentou matar a vítima e o atual marido, mas acabou assassinado.

“Revela que ela foi vítima e que precisou salvar sua própria vida, do contrário seria estatística e mais um nome nas lamentáveis manchetes jornalísticas”, pontuou o juiz. Por entender que o casal não tinha histórico de violência e o fato foi uma situação isolada, ele concedeu a liberdade provisória. Conforme o juiz, mesmo após os fatos o casal ainda procurou atendimento médico para Antônio.

No entanto, o casal deve comparecer a todos os atos do inquérito, cumprir recolhimento noturno domiciliar e também nos dias de folga, não poderão frequentar bares e nem podem sair da cidade, apenas com autorização judicial.

Se defendeu do marido

A mulher de 55 anos contou à polícia que estava em sua casa, junto ao atual esposo, quando teve o imóvel invadido por Antônio, que estava com uma faca, uma barra de ferro e dizia que os objetos eram para matá-los. Ao entrarem em luta corporal, a mulher foi atingida com um golpe de faca na palma da mão direita e o homem na região do abdômen.

Segundo ela, para se proteger das agressões, conseguiu tomar a faca do ex-marido e dar dois golpes em região que diz não se lembrar. Em seguida, ao perceber que Antônio ainda tinha reações, desferiu mais dois golpes com barra de ferro que antes estava com ele.

A perícia constatou que Antônio foi atingido na região do ombro, tórax e abdômen por 13 facadas, quatro vezes na cabeça por golpes com a barra de ferro e teve corte na região da testa. Ainda ficou comprovado que os golpes na cabeça foram dados quando ele já estava caído ao chão, e que o casal continuou com as agressões até que efetivassem o homicídio.

Jornal Midiamax