Polícia

Guardas do presídio não teriam agido ao verem membros do PCC fugindo por túnel

Foi confirmada a fuga de 75 homens na madrugada deste domingo (19) e início da manhã do Presídio de Pedro Juan Caballero. A princípio a informação seria de 91 fugitivos, mas o número foi recalculado. A fuga aconteceu na cidade paraguaia que faz fronteira com Ponta Porã, município a 346 quilômetros de Campo Grande. A […]

Renata Portela Publicado em 19/01/2020, às 09h56 - Atualizado às 15h58

None

Foi confirmada a fuga de 75 homens na madrugada deste domingo (19) e início da manhã do Presídio de Pedro Juan Caballero. A princípio a informação seria de 91 fugitivos, mas o número foi recalculado. A fuga aconteceu na cidade paraguaia que faz fronteira com Ponta Porã, município a 346 quilômetros de Campo Grande.

A promotora Reinalda Palacios declarou ao site paraguaio ABC Color que não sabe como os guardas não teriam visto a movimentação dos presos durante a fuga, porém as imagens das câmeras de segurança teriam apontado que eles foram sim flagrados. Agente do Ministério Público afirmou que é possível ver uma movimentação no pavilhão do PCC desde as 4 horas.

Guardas do presídio não teriam agido ao verem membros do PCC fugindo por túnel
Túnel por onde os presos fugiram (Foto: Via WhatsApp)

Para o agente, os guardas não agiram mesmo tendo visto a fuga. Além disso, para os detentos que estavam no andar superior fugirem (50 no total), eles teriam que passar por um portão para ter acesso ao túnel. Apesar disso, em um primeiro momento os responsáveis pela fiscalização que entraram na unidade encontraram o portão trancado, indicando que teria sido aberto por agentes e depois fechado novamente.

Tudo indica uma participação dos funcionários do presídio na fuga e membros da diretoria foram demitidos logo após o ocorrido. Uma lista com a relação dos fugitivos deve ser divulgada nos próximos momentos e já teria sido repassada para a polícia brasileira, que faz um trabalho intensivo na região de fronteira em busca dos evadidos.

Três camionetes queimadas foram encontradas em território brasileiro, a aproximadamente 10 quilômetros da fronteira. Polícia brasileira faz trabalho de perícia no local e há suspeita que os veículos possam ter sido utilizados na fuga.

Jornal Midiamax