Polícia

Por engano, brasileiro que trabalha em fazenda é sequestrado na fronteira com MS

O brasileiro Teodoro  Antunez, de 50 anos,  administrador da Estancia López Ykua, localizada na cidade de Capitan Bado, que faz divisa com Coronel Sapucaia, em Mato Grosso do Sul, foi sequestrado na tarde desta segunda-feira (2). Segundo informações da polícia ele foi confundido com o dono da propriedade. Em contato pessoas mais próximas ao gerente, […]

Marcos Morandi Publicado em 03/11/2020, às 05h55 - Atualizado às 07h45

Ex-presidente do Paraguai continua sequestrado.(Foto: Divulgação)
Ex-presidente do Paraguai continua sequestrado.(Foto: Divulgação) - Ex-presidente do Paraguai continua sequestrado.(Foto: Divulgação)

O brasileiro Teodoro  Antunez, de 50 anos,  administrador da Estancia López Ykua, localizada na cidade de Capitan Bado, que faz divisa com Coronel Sapucaia, em Mato Grosso do Sul, foi sequestrado na tarde desta segunda-feira (2).

Segundo informações da polícia ele foi confundido com o dono da propriedade. Em contato pessoas mais próximas ao gerente, segundo o Última Hora, os sequestradores admitiram que erram o alvo, mas mesmo assim, pediram o pagamento do resgate para libertar a vítima.

O administrador geral da Fazenda López Ykua, chamado Gustavo Villalba, notificou a Polícia Nacional sobre o suposto sequestro de Teodoro Antunez, 50, responsável pelo estabelecimento, localizado a cerca de 15 quilômetros da Delegacia 23 da Colônia Puendy.

O responsável pelo estabelecimento teria chegado ao local a bordo de um caminhão da marca Toyota, modelo Hilux, na cor prata, e ao sair para abrir o portão teria sido reduzido pelos supostos autores, que estavam em um caminhão.

O sequestro ocorreu por volta das 14h30 e compareceram ao local funcionários da Delegacia 23 de Colonia Puendy, bem como a Unidade Anti-sequestro  e o promotor de Justiça Leonardo Cáceres.

Este é o terceiro sequestro envolvendo proprietários rurais paraguaios e funcionários nos últimos meses. Em setembro o ex-vice presidente do Paraguai e seu capataz também foram vítimas. O político ainda permanece nas mãos dos sequestradores.

Jornal Midiamax