Polícia

Fazendeiro é multado em R$ 390 mil por plantar eucalipto e criar gado em área protegida

PMA de Costa Rica autua fazendeiro em R$ 390 mil por plantio e colheita de eucalipto, construção de tanques e criar gado degradando área protegida no entorno de Parque Um fazendeiro foi multado em R$ 390 mil por plantio e colheita de eucalipto, construção de tanques e criação de gado em área protegida no entorno […]

Diego Alves Publicado em 27/08/2020, às 20h57 - Atualizado às 21h00

Plantio de eucalipto (Divulgação, PMA)
Plantio de eucalipto (Divulgação, PMA) - Plantio de eucalipto (Divulgação, PMA)

PMA de Costa Rica autua fazendeiro em R$ 390 mil por plantio e colheita de eucalipto, construção de tanques e criar gado degradando área protegida no entorno de Parque

Um fazendeiro foi multado em R$ 390 mil por plantio e colheita de eucalipto, construção de tanques e criação de gado em área protegida no entorno de Parque do Parque das Emas, na divisa do município com o Estado de Goiás.

A Polícua Militar Ambiental de Costa Rica autuaram um proprietário rural por degradação de áreas protegidas na área do entorno do Parque das Emas, na divisa do município com o estado de Goiás. A PMA informou que recebeu denúncias sobre a colheita de eucalipto na área protegida e esteve fazendo vistoria no local no dia 20, há sete dias.

A partir da vistoria e confirmação do crime, a PMA começou a realizar levantamentos da área afetada por sobreposição de imagens de satélites e verificou que o fazendeiro plantou o eucalipto no ano de 2010 e agora realizava a colheita, realmente, em área de preservação permanente de uma vereda (APP), definida conforme a Lei Federal nº 12.651/2012 (Código Florestal), no entorno do Parque Nacional das Emas.

O infrator de 67 anos, morador em Chapadão do Sul, além de explorar a área protegida com plantio e colheita do eucalipto, também cria gado bovino em outro espaço de área de preservação permanente das matas ciliares do córrego da Lage, contribuindo com o assoreamento do curso d’água, que está dentro da propriedade. Outra infração que agrava as infrações anteriores, é que o proprietário também construiu dois tanques para criação de peixes dentro da área de preservação permanente.

Os Policiais mediram com GPS e a área protegida degradada perfez 52 hectares. Também foi utilizado drone para a caracterização do uso atual da área. A atividade foi embargada. Localizado e notificado hoje (27), o infrator foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 390 mil multa agravada pela área ser protegida por lei. Ele também responderá por crime ambiental com pena de um a três anos de detenção. O autuado foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada junto ao órgão

Jornal Midiamax