Polícia

Em reconstituição, polícia encontra chave de carro de comerciante assassinada

A Polícia Civil encontrou a chave do carro da comerciante Liane Aparecida de Arruda, 51 anos, durante reconstituição do assassinato nesta sexta-feira (17). A chave foi dispensada pelo ex-funcionário de 28 anos, autor confesso, após matar Liane. O crime ocorreu na noite de sábado (11) e o corpo da comerciante foi encontrado na manhã de […]

Dayene Paz Publicado em 17/07/2020, às 13h59 - Atualizado às 17h44

Polícia reconstituiu crime nesta sexta. Imagem: Divulgação, PCMS
Polícia reconstituiu crime nesta sexta. Imagem: Divulgação, PCMS - Polícia reconstituiu crime nesta sexta. Imagem: Divulgação, PCMS

A Polícia Civil encontrou a chave do carro da comerciante Liane Aparecida de Arruda, 51 anos, durante reconstituição do assassinato nesta sexta-feira(17). A chave foi dispensada pelo ex-funcionário de 28 anos, autor confesso, após matar Liane. O crime ocorreu na noite de sábado (11) e o corpo da comerciante foi encontrado na manhã de domingo (12).

O ex-funcionário participou da reconstituição, que foi coordenada pelos delegados Willian Rodrigues e Tatiana Zyngier e Silva. O autor apontou toda a dinâmica dos fatos. A polícia interditou a área para realizar os trabalhos.

Durante a reconstituição, os policiais conseguiram localizar a chave do carro da vítima, que havia sido dispensada pelo suspeito após rodar com o veículo pela noite inteira, após o assassinato.

Assassinato

O suspeito disse aos policiais que precisava de dinheiro para pagar dívidas e decidiu assaltar a comerciante.

A investigação apontou que a vítima tinha o hábito de levar funcionários em casa depois do fechamento do restaurante e na noite daquele sábado, o suspeito teria esperado por ela atrás de uma árvore. Quando a vítima recolheu o carro na garagem, ele aproveitou e entrou na casa, que fica ao lado do estabelecimento comercial.

Ele estava encapuzado e rendeu a vítima. Ele contou ainda que estava sob efeito de entorpecente e que não pretendia matá-la, mas a vítima teria reconhecido sua voz e acabou morta com oito perfurações de faca no pescoço.

Ele foi preso na terça-feira (14), em um quarto de motel. Do dinheiro que roubou, a polícia recuperou apenas R$ 688. Ele foi indiciado por latrocínio.

Jornal Midiamax