Polícia

Dois são presos por pesca predatória no Rio Ivinhema

A PMA (Polícia Militar Ambiental) do Grupamento do Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema prendeu e autuou em R$ 3 mil dois catarinenses e um paranaense por pesca na área proibida do Parque. Policiais ambientais realizavam fiscalização na área do entorno do Parque, no Rio Ivinhema na foz com o rio Paraná no município […]

Diego Alves Publicado em 15/10/2020, às 00h17

Divulgação, PMA
Divulgação, PMA - Divulgação, PMA

A PMA (Polícia Militar Ambiental) do Grupamento do Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema prendeu e autuou em R$ 3 mil dois catarinenses e um paranaense por pesca na área proibida do Parque.

Policiais ambientais realizavam fiscalização na área do entorno do Parque, no Rio Ivinhema na foz com o rio Paraná no município de Jateí e autuaram os dois catarinenses e um paranaense por pesca ilegal, nesta terça-feira (13).

A área que os turistas pescavam é proibida à pesca definida no Plano de Manejo do Parque, como área a ser preservada. Eles pescavam embarcados quando foram abordados e não tinham capturado pescado ainda. Com os pescadores foram apreendidos um barco, um motor de popa e três carretilhas com varas.

Os infratores, dois catarinenses, ambos de 42 anos, residentes em Chapecó e Joinville (SC) e um paranaense de 30 anos, residente em Querência do Norte (PR), receberam voz de prisão e foram encaminhados à delegacia de Polícia Civil de Jateí, onde foram autuados em flagrante por crime ambiental de pesca predatória e saíram depois de pagarem fiança de R$ 1.500,00 cada um. A pena para o crime é de um a três anos de detenção. Eles também autuados administrativamente e multados em R$ 1 mil cada um pela PMA.

Jornal Midiamax