Polícia

Denunciado por roubo, policial civil que ajudou agiota é preso e afastado

Investigador da Polícia Civil foi preso e afastado do cargo após ser denunciado por envolvimento em roubo ocorrido no mês de abril, em Campo Grande. A prisão provisória foi cumprida no último dia 3, mas foi publicada somente nesta sexta-feira (06) no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso do Sul. Ele é investigado criminalmente […]

Renan Nucci Publicado em 06/11/2020, às 15h40

Foto Ilustrativa
Foto Ilustrativa - Foto Ilustrativa

Investigador da Polícia Civil foi preso e afastado do cargo após ser denunciado por envolvimento em roubo ocorrido no mês de abril, em Campo Grande. A prisão provisória foi cumprida no último dia 3, mas foi publicada somente nesta sexta-feira (06) no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso do Sul. Ele é investigado criminalmente e administrativamente.

Conforme decisão do delegado Márcio Rogério Faria Custódio, corregedor-geral da corporação, o policial era lotado na Acadepol (Academia de Polícia) e fica afastado compulsoriamente pelo prazo em que perdurar a medida judicial. Foi determinado o recolhimento das armas, carteira funcional e demais pertences do patrimônio público. Além disso, teve suspenso o acesso ao sistema de informação da segurança pública.

Denúncia

Conforme denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual, com base em inquérito policial instaurado na Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos), no dia 15 de abril deste ano, em frente a uma empresa de embalagens na Vila Bandeirantes, o policial e um agiota, mediante grave ameaça, roubaram um veículo Ônix pertencente a um homem que havia emprestado dinheiro, mas que não estava pagando.

Consta nos autos que o agiota emprestou R$ 6 mil à vítima em 2019, que pagou apenas R$ 4 mil naquele ano. Neste ano, o devedor pagou somente mais R$ 300 e passou a ser cobrado para que novamente pagasse R$ 6 mil, valor que seria referente ao restante da dívida inicial e mais juros acrescidos pelo atraso. Na data dos fatos, a vítima foi abordada pelo agiota e policial no local mencionado, oportunidade em que teve início uma conversa sobre a dívida.

O policial então mostrou o distintivo e uma arma de fogo, obrigado que o devedor entrasse no banco traseiro do carro Ônix. O policial assumiu a direção, deixou o local e juntamente com o agiota, fizeram várias ameaças contra a vítima. Adiante, deixaram o devedor em outro local e foram embora com o carro. A Polícia Militar foi acionada e apreendeu o automóvel em uma oficina, fazendo a restituição.

Jornal Midiamax