Polícia

Criança de 2 anos tem 90% do corpo queimado em incêndio em residencial no Lageado

Um incêndio ocorrido na manhã deste domingo (31) nas dependências de um apartamento no Residencial Zenóbio dos Santos, no bairro Lageado, em Campo Grande, deixou uma criança de 2 anos de idade com 90% do corpo queimado. Ela foi encaminhada para a Santa Casa de Campo Grande e o estado de saúde, segundo o Corpo […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 31/05/2020, às 11h39 - Atualizado em 01/06/2020, às 07h06

Corpo de Bombeiros durante atendimento no local. Foto: Renan Nucci | Jornal Midiamax
Corpo de Bombeiros durante atendimento no local. Foto: Renan Nucci | Jornal Midiamax - Corpo de Bombeiros durante atendimento no local. Foto: Renan Nucci | Jornal Midiamax

Um incêndio ocorrido na manhã deste domingo (31) nas dependências de um apartamento no Residencial Zenóbio dos Santos, no bairro Lageado, em Campo Grande, deixou uma criança de 2 anos de idade com 90% do corpo queimado. Ela foi encaminhada para a Santa Casa de Campo Grande e o estado de saúde, segundo o Corpo de Bombeiros, é gravíssimo.

De acordo com o Primeiro Tenente Wagner Moreira Lopes, do Corpo de Bombeiros de Campo Grande, os levantamentos preliminares apontam que as chamas tiveram início após uma das crianças, que brincava com um isqueiro, provocar chamas em um dos quartos, no qual, além de colchões, havia grande quantidade de materiais recicláveis, como pneus, papeis, latinhas e outros itens, de fácil combustão.

As chamas se alastraram rapidamente e uma das crianças sofreu ferimentos leves, sendo encaminhada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) das Moreninhas, e está fora de risco. Já a criança que teve 90% do corpo atingido pelas chamas foi conduzida até a UPA Universitário, onde seria interceptada por uma ambulância avançada do Samu para ser levada à Ssnta Casa.

As chamas foram apagadas pelos próprios moradores do residencial, com uso de 9 extintores de incêndio. Após serem acionados, os bombeiros fizeram o rescaldo da estrutura e prestaram socorro às vítimas. Segundo o Corpo de Bombeiros, a perícia foi acionada para identificar a origem das chamas e, a Defesa Civil, para avaliar eventuais danos estruturais. Os bombeiros também acionaram órgão de assistência social para acompanhar a situação da família.

Jornal Midiamax