Polícia

Corpo carbonizado tinha 15 perfurações de faca, segundo a perícia

O corpo carbonizado encontrado em escombros de uma casa incendiada na cidade de Cassilândia, a 430 quilômetros de Campo Grande, nesta quarta-feira (13), teria 15 perfurações de faca segundo resultados dos laudos periciais. Um trabalhador foi quem encontrou a vítima. Ainda não foi possível a identificação da vítima, mas inicialmente seria de uma mulher de […]

Thatiana Melo Publicado em 14/05/2020, às 06h09 - Atualizado às 14h03

Vítima ainda não foi identificada (Ilustrativa)
Vítima ainda não foi identificada (Ilustrativa) - Vítima ainda não foi identificada (Ilustrativa)

O corpo carbonizado encontrado em escombros de uma casa incendiada na cidade de Cassilândia, a 430 quilômetros de Campo Grande, nesta quarta-feira (13), teria 15 perfurações de faca segundo resultados dos laudos periciais. Um trabalhador foi quem encontrou a vítima.

Ainda não foi possível a identificação da vítima, mas inicialmente seria de uma mulher de cerca de 20 anos. O delegado que acompanha o caso, Rodrigo de Freitas disse ao Cassilândia News que no corpo haviam cerca de 15 perfurações de faca, sendo algumas no pescoço e o restante nas costas.

A vítima foi encontrada por um trabalhador nesta quarta (13), em uma casa que havia sido incendiada.  O proprietário disse na delegacia após encontrar a vítima, que estava construindo uma pequena residência no local, atrás de uma fábrica, e  ficou trabalhando no terreno até por volta das 17 horas de terça-feira (12), deixando a porta encostada e voltou para sua casa na cidade. Nesta quarta-feira (13) pela manhã, retornou para continuar os trabalhos, quando se deparou com o imóvel incendiado.

Ele então observou nos arredores, encontrou pegadas e constatando que a cozinha e o quarto haviam sido queimados. Em seguida, foi procurar representantes da prefeitura para informar sobre o ocorrido e logo depois voltou ao lote. Ao abrir as portas e observar com mais cuidado, viu a vítima caída debaixo de cinzas, caibros e telhas que faziam a cobertura da residência. A polícia foi acionada.

O corpo foi encaminhado para exames de identificação e exame necroscópico, para comprovar as causas da morte. O caso é investigado pela Polícia Civil como homicídio qualificado pelo uso de fogo e qualificado por ter sido cometido por traição, emboscada ou meio que dificulte a defesa da vítima.

Jornal Midiamax