Polícia

Com casa monitorada por câmeras, assassino de jovem agiu em ‘ponto cego’ para escapar da filmagem

Com a residência monitorada por câmeras de segurança, o assassino de Amanda Souza Barbosa, 34 anos, teria agido em um ‘ponto cego’ e não foi filmado. O crime é investigado pela Polícia Civil de Chapadão do Sul, com apoio de investigadores de Paraíso das Águas. Informações divulgadas anteriormente pelo Midiamax são de que a família […]

Dayene Paz Publicado em 13/05/2020, às 14h25 - Atualizado em 14/05/2020, às 08h05

Foi morta com tiro nas costas. Imagem: Divulgação, BNC Notícias
Foi morta com tiro nas costas. Imagem: Divulgação, BNC Notícias - Foi morta com tiro nas costas. Imagem: Divulgação, BNC Notícias

Com a residência monitorada por câmeras de segurança, o assassino de Amanda Souza Barbosa, 34 anos, teria agido em um ‘ponto cego’ e não foi filmado. O crime é investigado pela Polícia Civil de Chapadão do Sul, com apoio de investigadores de Paraíso das Águas. Informações divulgadas anteriormente pelo Midiamax são de que a família de Amanda já havia recebido ameaças de morte.

As investigações são comandadas pelo delegado Felipe Machado Potter, titular da delegacia de Chapadão do Sul, a 330 quilômetros de Campo Grande. O crime ocorreu na comunidade Pedra Branca, que fica cerca de 35 quilômetros de Chapadão.

Amanda estava sozinha em casa e foi atingida por um disparo de cartucheira nas costas. Ela foi encontrada já sem vida pelo marido, que chegava do trabalho. Os moradores da comunidade de Pedra Branca  afirmaram que minutos antes do crime ouviram um disparo de arma de fogo.

Conforme apurado inicialmente pela equipe policial, a residência onde ocorreu o crime é monitorada por várias câmeras de segurança. No entanto, o assassino teria estudado o local e planejado o crime, conforme divulgou o BNC Notícias. Ele agiu no ‘ponto cego’ das câmeras. As investigações correm em sigilo.

Jornal Midiamax