Polícia

Cães farejam 2,86 toneladas de maconha meio a carregamento de frango congelado

Cães farejadores ajudaram a PRF (Polícia Rodoviária Federal) a apreender 2,86 toneladas de maconha escondidas em meio a uma carga de frango congelado. O flagrante aconteceu na quarta-feira (13), no Posto Fiscal Foz do Amambai, em Itaquiraí, a 402 quilômetros de Campo Grande. O motorista do caminhão que fazia o transporte foi preso e disse […]

Renan Nucci Publicado em 14/05/2020, às 14h33

Frango foi deixado em frigorífico para que droga fosse retirada. Foto: Divulgação
Frango foi deixado em frigorífico para que droga fosse retirada. Foto: Divulgação - Frango foi deixado em frigorífico para que droga fosse retirada. Foto: Divulgação
Cães farejam 2,86 toneladas de maconha meio a carregamento de frango congelado
Cão da PRF fareja droga em caminhão. Foto: Divulgação

Cães farejadores ajudaram a PRF (Polícia Rodoviária Federal) a apreender 2,86 toneladas de maconha escondidas em meio a uma carga de frango congelado. O flagrante aconteceu na quarta-feira (13), no Posto Fiscal Foz do Amambai, em Itaquiraí, a 402 quilômetros de Campo Grande. O motorista do caminhão que fazia o transporte foi preso e disse que receberia R$ 20 mil pelo serviço.

Conforme nota, durante fiscalização, os policiais abordaram o motorista e desconfiaram do nervosismo dele, motivo pelo qual decidiram fazer uma vistoria minuciosa no veículo e acionaram a equipe com dois cães. Os animais treinados conseguiram farejar a presença de drogas no veículo, ocasião em que o motorista acabou confessando que trabalhava para o tráfico.

Além disso, o homem afirmou ter apresentado sintomas do coronavírus (Covid-19) e alegou que um familiar havia testado positivo para a doença. Ele foi encaminhado ao Hospital Regional de Naviraí e submetido a exame que deu negativo. Em seguida, os policiais escoltaram o caminhão até um frigorífico em Eldorado, para retirada da carga e, assim, foi possível localizar as 2.860 toneladas de maconha.

Como não havia local seguro para armazenagem, os tabletes foram prontamente incinerados na presença de delegado de polícia, Ministério Público e Vigilância Sanitário. O homem afirmou ter sido contratado em Porto Seguro, na Bahia, para buscar a droga em Naviraí e entregar na Bahia. Pelo serviço, receberia R$ 20 mil, no entanto, acabou preso.

Jornal Midiamax