Polícia

Brasileiro ligado ao PCC e filha de 9 anos morreram em atentado na fronteira

Além de Michel Antunes Pinto, de 35 anos, vítima de execução na região de fronteira na noite de sexta-feira (4), a filha de 9 anos também teria sido assassinada. O brasileiro foi alvo de pistoleiros na região de Zanga Pytã, fronteira com o distrito de Sanga Puitã em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo […]

Renata Portela Publicado em 05/12/2020, às 06h54 - Atualizado em 06/12/2020, às 08h45

Vítima morreu após ser socorrida (Foto: Ponta Porã News)
Vítima morreu após ser socorrida (Foto: Ponta Porã News) - Vítima morreu após ser socorrida (Foto: Ponta Porã News)

Além de Michel Antunes Pinto, de 35 anos, vítima de execução na região de fronteira na noite de sexta-feira (4), a filha de 9 anos também teria sido assassinada. O brasileiro foi alvo de pistoleiros na região de Zanga Pytã, fronteira com o distrito de Sanga Puitã em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande.

As primeiras informações davam conta que Michel e a esposa, de 30 anos, tinham sido atingidos pelos disparos. No entanto, conforme o site paraguaio Capitan Bado, a menina de 9 anos também acabou morrendo vítima de execução.

Por volta das 22h30, a família estava em uma camionete Toyota, prata, quando foi surpreendida pelos atiradores. A princípio os disparos começaram ainda em território brasileiro e o motorista tentou fugir, mas acabou atingido e perdeu o controle da camionete.

O casal foi socorrido, mas o homem morreu no hospital. A criança teria falecido no local e a mulher está em estado grave, no Hospital Regional de Ponta Porã.

Homem ligado ao PCC

Durante as investigações da morte do policial civil Wescley Vasconcelos, de 37 anos, em Ponta Porã, Michel chegou a ser preso com armas de fogo. A execução aconteceu em 6 de março e o crime foi ligado a Minotauro e à esposa Maria Alciris.

A princípio, o crime teria sido arquitetado pelo PCC (Primeiro Comando da Capital), na disputa pelo controle da fronteira entre Brasil e Paraguai.

Jornal Midiamax