Polícia

Bombeiros já percorreram 36 km do Rio Anhandui em busca de menino desaparecido

Só no fim de semana, militares do Corpo de Bombeiros já percorreram 36 quilômetros do Rio Anhandui em busca do menino de 8 anos desaparecido na noite da última sexta-feira (4), no Bairro Jardim Ouro Preto, durantes as fortes chuvas que atingiram a Capital. No sábado (5) foram 16 e no domingo (6) mais 20 […]

Danielle Errobidarte Publicado em 07/12/2020, às 14h58 - Atualizado às 15h34

Jovem desapareceu próximo à margem do rio (Foto: Ilustrativa/ Arquivo Midiamax)
Jovem desapareceu próximo à margem do rio (Foto: Ilustrativa/ Arquivo Midiamax) - Jovem desapareceu próximo à margem do rio (Foto: Ilustrativa/ Arquivo Midiamax)

Só no fim de semana, militares do Corpo de Bombeiros já percorreram 36 quilômetros do Rio Anhandui em busca do menino de 8 anos desaparecido na noite da última sexta-feira (4), no Bairro Jardim Ouro Preto, durantes as fortes chuvas que atingiram a Capital. No sábado (5) foram 16 e no domingo (6) mais 20 quilômetros. Nesta segunda-feira (7) as buscas seguem com caiaques, ao longo do rio, e nas margens.

Desde às 05h30, três militares dos bombeiros – com equipe de mergulhadores -, fazem as buscas de caiaque e por terra. A mobilização da família é intensa. Esperançosos, os familiares e vizinhos também utilizam cordas para descerem no rio e passaram o fim de semana percorrendo entorno do rio.

Buscas já duram 4 dias

No sábado (5) as fortes chuvas aumentaram o nível do rio, que baixou consideravelmente no dia seguinte, domingo (6). Na última sexta-feira (4), a família foi até a casa do tio, na região do Parque do Lageado, para uma visita. Segundo vizinha, era a primeira vez que o caçula, de 8 anos, ia ao local. Com os irmãos de 12, 13 e 15 anos, ele desceu até o córrego para pescar, quando aconteceu a chegada de uma ‘cabeça d’água’.

O fenômeno ocorre quando há chuvas no curso do rio, na região do córrego, que provocam o aumento rápido e repentino do nível da água. Pouco antes das 18 horas de sexta-feira, os bombeiros foram chamados por conta do desaparecimento de pessoas no córrego.

Os dois meninos de 12 e 13 anos conseguiram sair e pediram ajuda ao tio, que foi até o rio. Desesperado, ele entrou nas águas em busca das crianças. No entanto, testemunhas informaram para os bombeiros que viram o tio e um dos sobrinhos saindo do córrego pela margem.

A princípio a informação era de que o homem, de 36 anos, e os sobrinhos de 8 e 15 anos foram arrastados para dentro do córrego e desapareceram. Horas depois, o tio e o sobrinho mais velho foram encontrados na Avenida Gunter Hans. Já o menino de 8 anos segue desaparecido.

Jornal Midiamax