Polícia

Após encontrar bilhete, polícia investiga se pecuarista carbonizado cometeu suicídio

A Polícia Civil investiga se o pecuarista de 81 que teria sido encontrado carbonizado na quinta-feira (27), em uma fazenda localizada na zona rural de Campo Grande, cometeu suicídio. Dentro da caminhonete dele havia um bilhete de despedida em que ele relatava problemas familiares e pedia para a neta cuidar do bisneto, garoto que gostava […]

Renan Nucci Publicado em 27/08/2020, às 18h49 - Atualizado às 18h54

Foto Ilustrativa
Foto Ilustrativa - Foto Ilustrativa

A Polícia Civil investiga se o pecuarista de 81 que teria sido encontrado carbonizado na quinta-feira (27), em uma fazenda localizada na zona rural de Campo Grande, cometeu suicídio. Dentro da caminhonete dele havia um bilhete de despedida em que ele relatava problemas familiares e pedia para a neta cuidar do bisneto, garoto que gostava muito.

Conforme apurado, na terça-feira, ele teria brigado com a esposa de 75 anos e ficado bastante abalado. Na quarta-feira de manhã, após tomar café, se despediu de todos na fazenda, pegou umas roupas, colocou no veículo e saiu. Cerca de uma hora depois da partida, peões avistaram sinal de fumaça cerca de cinco quilômetros longe da sede.

Ao verificarem, viram queimando um monte de restos de poda, com galhos e tocos, e encontraram a caminhonete a cerca de 50 metros de distância, com a chave na ignição, som ligado e com o bilhete. Foram feitas buscas pelas imediações, mas ele não foi encontrado. No entanto, no local do fogo, ainda na quarta, peões se depararam com o que pensaram ser ossos humanos.

Nesta quinta, as equipes policiais estiveram no local e constaram junto com os ossos uma prótese dentária, parecida com a que a vítima tinha, dois dentes e a ‘perna’ de uma armação da mesma marca do óculos que o pecuarista usava. Também havia alguns botões, dando a entender que roupas foram queimadas no local. Neste sentido, a polícia passou a acreditar que ele tenha tirado a própria vida, de forma incomum.

Os materiais coletados no local foram encaminhados para perícia, a fim de identificar, por meio de DNA, se de fato se trata do pecuarista, apesar de todos os indícios. Também seguem as investigações para descobrir se realmente ele cometeu suicídio, como se desenha o caso. As investigações são conduzidas pela DEH (Delegacia Especializada de Homicídios).

Jornal Midiamax