Polícia

Pagou ‘milão’ por RG e acabou preso no depósito de droga em Campo Grande

Ao deter um foragido da Justiça identificado como Jeferson Lima Martins de 36 anos, na noite desta terça-feira (13), policiais acabaram descobrindo um depósito de droga, no Bairro Aero Rancho em Campo Grande, e acabou preso também Edigleice da Silva Haddad de 31 anos. O flagrante aconteceu por volta das 19 horas desta terça (13), […]

Thatiana Melo Publicado em 14/10/2020, às 06h18 - Atualizado em 15/10/2020, às 13h07

(Ilustrativa)
(Ilustrativa) - (Ilustrativa)

Ao deter um foragido da Justiça identificado como Jeferson Lima Martins de 36 anos, na noite desta terça-feira (13), policiais acabaram descobrindo um depósito de droga, no Bairro Aero Rancho em Campo Grande, e acabou preso também Edigleice da Silva Haddad de 31 anos.

O flagrante aconteceu por volta das 19 horas desta terça (13), quando os policiais faziam patrulhamento na Rua Rubiataba e perceberam os dois na esquina em atitude suspeita, sendo que ao verem a viatura fugiram a pé, mas Jeferson foi alcançado e apresentou um documento falso depois confessando que havia comprado a identidade pelo valor de R$ 1 mil.

Ele estava foragido do sistema prisional. Os policiais ainda encontraram o comparsa de Jeferson que tentava se esconder no quintal de uma casa. Quando abordado, ele disse que a casa era abandonada e que estava apenas tentando fugir, mas os militares não encontraram o morador.

Então, Edigleice confessou que a casa era de sua avó e que ele tomava conta sendo que no local funcionava um depósito para guardar drogas, e que o patrão dele seria Jeferson que negociava a maconha pelo WhatsApp com uma pessoa conhecida como Didi. Na casa foram apreendidos 85 tabletes de maconha, balança de precisão e outros apetrechos. Os dois foram levados para a delegacia.

Em nota, o advogado de Edigleice, Yahn Sortica, afirma que “os fatos narrados não condizem com a realidade e o que o acusado buscará defender sua liberdade. Os acusados participaram da audiência de custódia nesta manhã, e estão presos preventivamente até segunda ordem”.

(Matéria alterada às 13h11 de 15/10 para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax