Polícia

Antes de matar casal, homem foi denunciado por estupro e preso pela PF em MS

Jair Soares de Oliveira, 32 anos, acusado de matar um casal a facadas em Costa Rica, a 384 quilômetros de Campo Grande, já tem uma longa ficha criminal. Há boletim de ocorrência contra ele por estupro e roubo, em 2008. Jair também já foi preso pela Polícia Federal em Campo Grande. De acordo com o […]

Dayene Paz Publicado em 30/05/2020, às 18h07 - Atualizado às 18h15

Jair ficou em silêncio quando questionado sobre assassinatos. Imagem: Divulgação, MS Todo Dia
Jair ficou em silêncio quando questionado sobre assassinatos. Imagem: Divulgação, MS Todo Dia - Jair ficou em silêncio quando questionado sobre assassinatos. Imagem: Divulgação, MS Todo Dia

Jair Soares de Oliveira, 32 anos, acusado de matar um casal a facadas em Costa Rica, a 384 quilômetros de Campo Grande, já tem uma longa ficha criminal. Há boletim de ocorrência contra ele por estupro e roubo, em 2008. Jair também já foi preso pela Polícia Federal em Campo Grande.

De acordo com o delegado que está a frente da investigação, Cleverson Alves dos Santos, os crimes registrados em 2008 aconteceram em Coxim. “Ele também foi preso em uma operação da Polícia Federal que investigava uma quadrilha especializada em roubos”, relatou o delegado. Cleverson afirmou que Jair ficará preso em Costa Rica, até uma decisão judicial para que ele seja encaminhado ao presídio.

Antes de matar casal, homem foi denunciado por estupro e preso pela PF em MS
Casal foi morto enquanto dormia, ao lado de criança (Foto: MS Todo Dia)

Jair foi preso na manhã desta sexta-feira(29), um dia depois de matar a ex-companheira Marilei Ramos, 32 anos, e o namorado dela, Gilcione Rodrigues Martins, 34. Ele invadiu a casa da ex-mulher, onde ela dormia com a filha de 3 anos e o atual namorado. O suspeito então matou o casal esfaqueado na frente da criança.

Depois, se manteve escondido em fazendas na região. Na sexta-feira, chegou a furtar 20 litros de combustível de uma fazenda antes de fugir. A Polícia Civil acredita que ele estava em contato com um parente, que o ajudaria a fugir até o Pantanal.

Jornal Midiamax