Polícia

Adolescente que matou homem com golpes de faca e madeira tinha deixado Unei há menos de 1 mês

O adolescente de 17 anos que participou do assassinato de Jorge Ângelo Queiroz de 55 anos, no bairro Nova Lima, em Campo Grande já havia sido apreendido no dia 24 de outubro deste ano, por roubo. Carlos Candido de55 anos acabou preso pelo crime e passa por audiência de custódia nesta segunda-feira (30). O adolescente […]

Thatiana Melo Publicado em 30/11/2020, às 10h12 - Atualizado às 10h15

Caso foi encaminhado ao Cepol (Foto: Leonardo França)
Caso foi encaminhado ao Cepol (Foto: Leonardo França) - Caso foi encaminhado ao Cepol (Foto: Leonardo França)

O adolescente de 17 anos que participou do assassinato de Jorge Ângelo Queiroz de 55 anos, no bairro Nova Lima, em Campo Grande já havia sido apreendido no dia 24 de outubro deste ano, por roubo. Carlos Candido de55 anos acabou preso pelo crime e passa por audiência de custódia nesta segunda-feira (30).

O adolescente havia deixado a pouco tempo a Unei (Unidade Educacional de Internação) depois de ser apreendido pelo crime de roubo. No dia do assassinato, neste domingo (29), o garoto ajudou no crime espancando a vítima com chutes, além de esfaqueá-la.

A confusão teria começado por causa da água potável que os autores usavam de Jorge Ângelo. Mas, o ataque teria acontecido depois que a vítima pediu para que os garotos e uma mulher de 22 anos fossem embora da casa.

A mulher estava no imóvel com os dois menores e mais duas pessoas, quando Jorge Ângelo de Queiroz chegou ao local e pediu que ela fosse embora. No entanto, não há detalhes sobre qual a ligação da mulher com Ângelo e nem por qual motivo ele teria agido desta forma.

No entanto, os adolescentes que lá estavam não gostaram da postura da vítima e passaram a agredi-la. Ângelo levou golpes com banco de madeira, pedradas e de facão, sendo atacado do meio da rua e até o quintal de sua residência, para onde tentou fugir. Logo em seguida, os adolescentes deixaram a casa.

Uma testemunha foi ao local verificar o ocorrido e se deparou com o homem morto no sofá. Diante dos fatos, os adolescentes, bem como as testemunhas foram encaminhadas à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Cepol (Centro de Polícia Especializada), onde o caso foi registrado.

Jornal Midiamax