Polícia

Acusada de matar vizinha com sete facadas no Taquarussu tem liberdade negada

Bruna Fernanda Cardena Magalhães, de 23 anos, acusada de matar com sete facadas Sandra Aparecida Souza Mendes, 51 anos, teve negado o pedido de revogação da prisão preventiva. A decisão é do juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande. A defesa recorreu pedindo liberdade sob a […]

Renan Nucci Publicado em 16/10/2020, às 15h31

Sandra foi assassinada durante briga com a vizinha (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)
Sandra foi assassinada durante briga com a vizinha (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax) - Sandra foi assassinada durante briga com a vizinha (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Bruna Fernanda Cardena Magalhães, de 23 anos, acusada de matar com sete facadas Sandra Aparecida Souza Mendes, 51 anos, teve negado o pedido de revogação da prisão preventiva. A decisão é do juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande.

A defesa recorreu pedindo liberdade sob a alegação de que ela é ré primária, tem residência fixa e trabalho lícito, bem como filho menor sob sua guarda. No entanto, o magistrado indeferiu o recurso sob a justificativa da gravidade do crime cometido por ela e o risco à ordem pública que oferece.

“[…] verifico que não houve qualquer mudança fática significativa que autorize a sua colocação em liberdade, sendo que os fundamentos que autorizaram sua prisão cautelar permanecem presentes. Há prova da materialidade delitiva e indícios suficientes de autoria, inclusive pela própria confissão da acusada, conquanto apresente certa hipótese de legítima defesa”, disse.

Além disso, foi designada para o dia 9 de novembro, às 15 horas, a audiência de instrução e julgamento, oportunidade em que serão ouvidas as testemunhas de defesa e acusação, bem como será realizado o interrogatório da acusada.

Em depoimento ao ser presa, Bruna disse que agiu porque foi xingada por Sandra e porque a vítima mandava mensagens difamando a autora. Então, elas chegaram a discutir, quando Bruna disse para Sandra falar “na cara” o que tinha para dizer.

Ainda antes do homicídio Bruna chegou a jogar pedras na casa de Sandra, que revidou jogando garrafas na casa da vizinha, no bairro Taquarussu. Com isso as duas acabaram entrando em luta corporal, ambas armadas com facas e canivetes. Foi então que Bruna deu 7 facadas na vítima, no rosto e tórax, que morreu no local.

Jornal Midiamax