Polícia

“Vocês não podem me revistar”, diz suposto militar preso pela PM

Suposto militar de 20 anos e um amigo que o acompanhava foram presos nesta sexta-feira por ameaça, desacato, desobediência e resistência contra policiais militares em terminal rodoviário na cidade de Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande. Tudo começou depois que a dupla assediou uma mulher que estava com o marido. De acordo com […]

Renan Nucci Publicado em 28/06/2019, às 16h13

Terminal Rodoviário de Ponta Porã. Foto: A Tribuna News
Terminal Rodoviário de Ponta Porã. Foto: A Tribuna News - Terminal Rodoviário de Ponta Porã. Foto: A Tribuna News

Suposto militar de 20 anos e um amigo que o acompanhava foram presos nesta sexta-feira por ameaça, desacato, desobediência e resistência contra policiais militares em terminal rodoviário na cidade de Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande. Tudo começou depois que a dupla assediou uma mulher que estava com o marido.

De acordo com a PM, o casal, assustado, pediu socorro alegando que dois homens em um Gol estavam proferindo ameaças e xingamentos, com intenção de agredi-los. De acordo com as vítimas, um dos ocupantes do veículo estaria portando uma arma de fogo na cintura.

Enquanto os policiais ouviam os relatos, a dupla que os ameaçava se aproximou em alta velocidade, entrando o estacionamento de coletivos no terminal. Em seguida, os dois ocupantes do carro, visivelmente alterados, desembarcaram e começaram a proferir palavras de baixo calão contra o casal, indo em direção ao marido e à mulher. 

Nesse instante, uma das vítimas voltou a dizer que um deles estava com arma de fogo. Os policiais, então, intervieram, segurando todos no local. Porém, o suspeito de portar a arma de fogo negou-se a passar pela revista, dizendo: “Sou militar do exército e vocês não podem me revistar”. 

Os policiais o alertaram o rapaz, pedindo para que ele colocasse as mãos na cabeça e ficasse de costas, mas ele retrucou promovendo novas ofensas, dizendo mais uma vez que não seria revistado, pois seria militar do exército. 

Nesse instante, o comparsa partiu para cima dos policiais em tom ameaçador: “Vocês não vão encostar nele”. Em seguida, começaram a insultar os policiais insinuando que eles não prestavam nem para pegar ladrão. Diante dos fatos, os policiais deram voz de prisão a ambos e os encaminharam ao Segundo Distrito Policial.

De acordo com as vítimas, tudo começou quando o casal passava em frente a uma pastelaria próxima ao terminal rodoviário.Os autores começaram a assediar a mulher que estava acompanhada de seu esposo e este respondeu aos autores: “o que vocês estão mexendo com a minha mulher?”. Em seguida, os autores saíram do local e partiram para cima do casal.

Jornal Midiamax