Polícia

Policial Militar é excluído dois anos após assassinar colega de farda

César Diniz da Silva, até então sargento da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, foi excluído da corporação, conforme publicado no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (5). César assassinou o tenente João Miguel Além Rocha, de 50 anos, a tiros, após discussão na frente de uma oficina no Nova Lima. A publicação no […]

Renata Portela Publicado em 05/06/2019, às 10h19 - Atualizado às 18h57

None

César Diniz da Silva, até então sargento da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, foi excluído da corporação, conforme publicado no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (5). César assassinou o tenente João Miguel Além Rocha, de 50 anos, a tiros, após discussão na frente de uma oficina no Nova Lima.

A publicação no Diário Oficial, atribuída ao Comandante-Geral da PM, Waldir Ribeiro Acosta, resolve “excluir a bem da disciplina o 3º Sargento PM César Diniz da Silva do efetivo inativo da PMMS”.

Relembre o caso

Diniz foi apontado como responsável pelos disparos que mataram o tenente aposentado, João Miguel Além Rocha. Na ocasião, um jovem de 18 anos também ficou ferido. Conforme o registro policial feito à época, a discussão entre os dois militares teria começado com a negociação de venda de um Nissan Sentra.

A vítima teria trocado o veículo por um terreno com um conhecido, mas o comprador não realizou o pagamento. Em vez disso, o homem revendeu o carro para Diniz. Na oficina onde ocorreu o crime, João teria impedido Diniz de levar o carro, quando os dois iniciaram a discussão e trocaram tiros.

O tenente morreu no local, com quatro disparos. O jovem que passava pela rua tentou apaziguar a situação, mas acabou ferido e fugiu, correndo.  Para a Polícia Civil, Diniz confessou o crime.

Jornal Midiamax