Polícia

Polícia vai verificar oficinas por onde avião que caiu em Campo Grade passou

A Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) vai verificar todas as oficinas em que a aeronave do empresário Pedro Arnaldo Montemor passou por manutenção. Ontem pela manhã, ele e a esposa Silvana Maria Pizzo morreram em acidente aéreo nas imediações do Aeroporto Santa Maria, em Campo Grande. Além da investigação policial, o Cenipa […]

Renan Nucci Publicado em 16/05/2019, às 16h49 - Atualizado em 17/05/2019, às 08h24

Foto: Minamar Júnior
Foto: Minamar Júnior - Foto: Minamar Júnior

A Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) vai verificar todas as oficinas em que a aeronave do empresário Pedro Arnaldo Montemor passou por manutenção. Ontem pela manhã, ele e a esposa Silvana Maria Pizzo morreram em acidente aéreo nas imediações do Aeroporto Santa Maria, em Campo Grande.

Além da investigação policial, o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) também vai apurar o caso, a fim de descobrir as causas e propor recomendações de segurança.

Conforme apurado pela reportagem, nesta quinta-feira peritos da Deco e do Cenipa colheram informações no local. O objetivo da Polícia Civil é descobrir se o acidente foi causado, por exemplo, por imperícia do piloto ou por algum problema mecânico. Por este motivo, todos os dados do caderno de anotações da aeronave serão verificados.

Os investigadores vão checar por quais oficinas passou por manutenção e se houve alguma irregularidade no procedimento. Motor, hélice, célula e outros componentes serão periciados. O trabalho visa, por exemplo, saber se foram instaladas peças em desacordo com as regulamentações da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Caso haja comprovação, o responsável pode responder pelo crime de atentado à segurança de voo.

A Deco assumiu o inquérito sobre o caso pois tem policiais autorizados pela Anac. O prazo de conclusão é de 30 dias. Além disso, em 2015 deu início à Operação Ícaro, que desmantelou esquema de manutenções irregulares em aeronaves no Mato Grosso do Sul. Na ocasião, foi constatado que peças eram desviadas e instaladas clandestinamente, barateando o custo da manutenção.

Cenipa

Diferente dos objetivos da Deco, o Cenipa tem como função principal emitir relatórios que servem como base para aperfeiçoar procedimentos de segurança. Neste sentido, pode chegar a conclusões diferentes da Polícia Civil. Além disso, as investigações do Cenipa não podem ser usadas como provas em processos judiciais, pois tem o caráter preventivo. Não há prazo para conclusão do procedimento. Muitos relatórios, inclusive, encontram irregularidades na fabricação e são encaminhados aos fabricantes para mudanças no processo de montagem. 

Jornal Midiamax