Polícia

Pastor oferecia dinheiro, chocolates e presentes para atrair menores e cometer estupros

Um pastor de 62 anos foi preso quase dois anos após cometer abusos contra duas crianças de 11 anos em 2017. Conforme informações policiais, ele oferecia chocolates, e dinheiro para as menores para atrair a confiança. Ele foi preso por estupro de vulnerável. O primeiro caso ocorreu no dia 15 de setembro, quando o pastor […]

Mariana Rodrigues Publicado em 29/05/2019, às 10h28 - Atualizado em 03/06/2019, às 11h39

Delegacia especializada investiga caso. (Foto: Divulgação)
Delegacia especializada investiga caso. (Foto: Divulgação) - Delegacia especializada investiga caso. (Foto: Divulgação)

Um pastor de 62 anos foi preso quase dois anos após cometer abusos contra duas crianças de 11 anos em 2017. Conforme informações policiais, ele oferecia chocolates, e dinheiro para as menores para atrair a confiança. Ele foi preso por estupro de vulnerável.

O primeiro caso ocorreu no dia 15 de setembro, quando o pastor fazia serviços de reforma na casa da vítima, ele se aproveitava dos momentos em que a mãe da menina estava fazendo os afazeres domésticos e a vítima brincava no quintal para atraí-la até a lavanderia da casa e praticar os abusos. A vítima contou para sua mãe que os abusos perduraram por alguns dias até o término da reforma da casa.

O outro caso ocorreu no dia 26 do mesmo mês e ano, conforme a polícia, a família frequentava a igreja do autor. A mãe começou a notar que ele dava muita atenção para a filha de 11 anos o que a deixou incomodada. Ainda conforme o depoimento da mãe da vítima, ele chegou a dar a quantia de R$20 para a menor e comprar chocolates para ela.

A mãe conta que certo dia o pastor ligou para ela dizendo que havia comprado chocolates para a menor, pois gostava muito dela e queria entregar pessoalmente. Quando o autor chegou na casa a mãe se escondeu e orientou a menina a apenas pegar o chocolate pela grade do portão e voltar.

Após entregar o chocolate, ele pediu para que ela lhe desse um copo de água e já foi entrando na casa com sua bicicleta. Ele entrou, sentou no sofá da sala e pediu para que a vítima ligasse o ventilador e sentasse ao seu lado, foi nesse momento que os abusos começaram.

Ele passou a fazer caricias na criança, falar que gostava muito dela e que gostaria que ela permitisse que ele desse bermudas curtas e biquíni para ela tomar banho de piscina e que quando ela chegasse na igreja, era para cumprimentá-lo normalmente, mas que depois ela poderia ir para a cozinha da igreja para que ele pudesse abraça-la melhor, alegando que era para que outras pessoas não ficassem com ciúmes.

O caso foi registrado na Depca (Delegacia Especializada de Atendimento à Criança e ao Adolescente), que instaurou inquérito, ele foi preso na última sexta-feira (24), quando estava na 7ª Vara Criminal no Fórum de Campo Grande, como ele já tinha mandado de prisão em aberto, a Polícia Militar foi acionada e a prisão foi cumprida.

Jornal Midiamax