Polícia

Polícia investiga se presa com R$ 500 mil em cocaína é ligada a facção

A mulher de 24 anos presa nesta segunda-feira (25), no Jardim Aeroporto, em Campo Grande, com 36 quilos de cocaína poderia ter ligações como crime organizado, segundo o delegado Reginaldo Salomão, da Denar. A cocaína apreendida na residência foi avaliada em R$ 500 mil se vendida da forma como estava, em tabletes. Já se a […]

Thatiana Melo Publicado em 26/03/2019, às 10h10 - Atualizado às 14h05

Foto: Minamar Júnior
Foto: Minamar Júnior - Foto: Minamar Júnior

A mulher de 24 anos presa nesta segunda-feira (25), no Jardim Aeroporto, em Campo Grande, com 36 quilos de cocaína poderia ter ligações como crime organizado, segundo o delegado Reginaldo Salomão, da Denar.

A cocaína apreendida na residência foi avaliada em R$ 500 mil se vendida da forma como estava, em tabletes. Já se a droga fosse fracionada o valor poderia chegar a R$ 1 milhão de reais. A polícia investiga se a mulher teria ligação com o crime organizado.

Em depoimento, ela disse que começou a traficar logo após deixar o serviço em uma loja de conserto de celulares há 1 ano, onde ganhava por mês R$ 1.300. O marido dela cumpre pena no semiaberto pelo crime de tráfico de drogas. O casal morava em casas separadas, mas na mesma rua.

Nesta terça-feira (26), a mulher passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada. Agora será determinado a sua ida para algum estabelecimento penal do Estado.

A apreensão da droga aconteceu nesta segunda (25), quando a polícia recebeu a informação da entrega da droga no endereço, que seria um ponto de venda de entorpecentes. Após duas horas de monitoramento, flagraram a autora, de 24 anos, com 35 tabletes de cocaína no porta malas de seu carro.

Dentro da residência também foram localizados 906 gramas também de cocaína, além de dinheiro e petrechos para embalar o entorpecente. O caso foi registrado na Denar.

Jornal Midiamax