Polícia

Justiça condena PM aposentado a 23 anos de prisão por assassinato e racismo

Foi condenado a 23 anos e dois meses de prisão, o policial militar aposentado João Nereu Nobre, pelo assassinato de Isaías da Silva Farias, de 30 anos, bem como pelas tentativas de homicídio contra os dois irmãos da vítima. Ele também terá de cumprir mais 30 dias-multas, conforme decidido pelo conselho de sentença. O julgamento […]

Renan Nucci Publicado em 17/04/2019, às 19h07 - Atualizado em 18/04/2019, às 09h21

None

Foi condenado a 23 anos e dois meses de prisão, o policial militar aposentado João Nereu Nobre, pelo assassinato de Isaías da Silva Farias, de 30 anos, bem como pelas tentativas de homicídio contra os dois irmãos da vítima. Ele também terá de cumprir mais 30 dias-multas, conforme decidido pelo conselho de sentença.

O julgamento foi realizado nesta quarta-feira, pelo juiz Aloísio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande. Ao todo, Nereu responde por homicídio qualificado por motivo torpe, duas tentativas de homicídio qualificadas por motivo torpe e por de injúria racial.

O crime ocorreu no dia 15 de abril de 2014, em um bar no Jardim Colibri, onde Isaías estava com os irmãos. Nereu chegou ao local embriagado, parou sua moto sobre a calçada e se negou a tirar o veículo, mesmo após pedido da proprietária. Em seguida, em tom irônico, pediu para usar o banheiro e saiu reclamando das instalações, provocando clientes.

Ele se dirigiu às vítimas chamando-as “de pretos sem inteligência”, mas mesmo assim os rapazes tentaram evitar confusão, mas Isaías não. Ele se ofendeu e empurrou Nereu. O policial aposentado saiu do local e voltou armado logo em seguida, disparando contra eles. Isaías foi atingido e não resistiu,os irmãos fugiram.

Jornal Midiamax