Polícia

Há três anos, mecânico era executado em posto de gasolina

No dia 8 de outubro de 2016, o mecânico Diego Eufrasio da Silva, 24 anos, foi executado com 15 tiros, e outras duas pessoas ficaram feridas em um posto de combustível em frente à Base Aérea de Campo Grande, na Avenida Duque de Caxias. O rapaz estava em uma festa, se desentendeu com outras pessoas […]

Mariana Rodrigues Publicado em 09/10/2019, às 07h00 - Atualizado às 12h47

None

No dia 8 de outubro de 2016, o mecânico Diego Eufrasio da Silva, 24 anos, foi executado com 15 tiros, e outras duas pessoas ficaram feridas em um posto de combustível em frente à Base Aérea de Campo Grande, na Avenida Duque de Caxias.

O rapaz estava em uma festa, se desentendeu com outras pessoas e foi até o posto para continuar bebendo. Por volta das 5h30, o condutor de um Honda Civic foi até lá e já desceu do veículo atirando. O jovem foi atingido na cabeça, pescoço, nádegas e morreu na hora. As outras duas vítimas foram atingidas na perna e abdômen.

Na época a irmã da vítima contou a reportagem que o irmão havia acabado de se separar da esposa, com quem tinha um filho. Desde então ele começou a sair para se divertir, mas não havia desavença com ninguém.

Segundo informações da polícia civil, o crime teria sido uma vingança pelo crime que ocorreu momentos antes em uma chácara em que ele participava de uma festa. Diego Eufrásio teria discutido com um jovem no local e de posse de um revólver calibre 38 efetuados disparos contra ele, atingindo o pescoço da vítima.

Em seguida Diego teria ido embora, sendo perseguido pelos amigos do rapaz ferido. Os três autores saíram em um Honda Civic na ‘caça’ do mecânico, vindo a encontrá-lo, no posto de combustível em frente à Base Aérea da cidade.

Jornal Midiamax