Polícia

Executado em frente a motel que ostentava em redes sociais tinha dívidas com o PCC

Carlos Alberto Diaz Pereira, de 30 anos, que foi executado com pelo menos oito tiros em frente a um motel, em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, nesta segunda-feira (29) teria sido assassinado por dívidas com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Antes de ser morto, Carlos tirou várias fotos ainda dentro do quarto […]

Thatiana Melo Publicado em 30/04/2019, às 11h04 - Atualizado às 15h31

None

Carlos Alberto Diaz Pereira, de 30 anos, que foi executado com pelo menos oito tiros em frente a um motel, em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, nesta segunda-feira (29) teria sido assassinado por dívidas com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Antes de ser morto, Carlos tirou várias fotos ainda dentro do quarto de motelonde estava acompanhado de uma mulher, ‘comendo’ dólares. Informações da polícia são de que ele estaria envolvido como PCC e tinha uma dívida, que não havia pago, o que teria motivado a sua execução com pelo menos oito tiros na cabeça.

Testemunhas que estavam no local afirmaram ter ouvido pelo menos 30 disparos. 16 cápsulas de pistola 9mm foram encontradas no pátio do motel. Carlos estava acompanhado de uma mulher e quando o casal saía de um dos apartamentos dentro de um automóvel modelo Golf, os pistoleiros se aproximaram em um carro prata e começaram a atirar.

A vítima tentou fugir correndo para o pátio, mas foi alcançado e morto com oito disparos de pistola calibre 9 milímetros na cabeça e corpo. Os pistoleiros ainda não foram encontrados.

Executado em frente a motel que ostentava em redes sociais tinha dívidas com o PCC

Jornal Midiamax