Polícia

Delegado suspeito de assassinar boliviano será transferido para presídio

O delegado Fernando Araújo da Cruz Júnior, titular da Deaji (Delegacia de Atendimento a Infância, Juventude e do Idoso) de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, que foi preso na última sexta-feira (29) deve ser transferido para o presídio militar de Campo Grande. O delegado está preso em uma cela do Garras (Delegacia Especializada […]

Thatiana Melo Publicado em 31/03/2019, às 12h45 - Atualizado em 04/04/2019, às 13h25

Foto: Capital do Pantanal
Foto: Capital do Pantanal - Foto: Capital do Pantanal

O delegado Fernando Araújo da Cruz Júnior, titular da Deaji (Delegacia de Atendimento a Infância, Juventude e do Idoso) de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, que foi preso na última sexta-feira (29) deve ser transferido para o presídio militar de Campo Grande.

O delegado está preso em uma cela do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros), e deve ser transferido ainda nesta semana para o Presídio Militar, segundo informações do delegado Fábio Peró.

A prisão estaria ligada à investigação do assassinato do boliviano Alfredo Rangel Weber dentro de uma ambulância, no último dia 23 de fevereiro. Alfredo teria sido sócio de Odacir Santos Correa, ex-barão do narcotráfico preso pela Polícia Federal na Operação Nevada, em 2003. Odacir, que atualmente cumpre pena de 14 anos por tráfico internacional de drogas, também seria ex-marido de Sílvia Aguilera, atual mulher do delegado e filha de Asis Aguilera Petzold.

No dia do assassinato, Alfredo teria encontrado Sílvia e cobrado uma dívida de seu ex-marido, Odacir. Ele teria ameaçado a mulher e o delegado teria intervindo e esfaqueado três vezes o boliviano. Fernando teria armado, ainda, emboscada para interceptar a ambulância que transportava Alfredo à Corumbá, após piora em seu estado de saúde.

Jornal Midiamax