Polícia

Bolivianos atravessam MS ‘vestidos’ com cocaína e são presos em São Paulo

Três bolivianos que saíram de Mato Grosso do Sul ‘vestidos’ com cocaína que seria entregue em São Paulo foram presos na manhã desta quinta-feira (19), pela Polícia Militar Rodoviária em Presidente Prudente. O flagrante aconteceu na rodovia Raposo Tavares (SP-270), durante abordagem a um ônibus cujo o percurso teve origem em Corumbá, na fronteira com […]

Renan Nucci Publicado em 19/12/2019, às 16h28 - Atualizado às 16h47

Suspeitos estavam vestidos com cocaína. Foto: Divulgação
Suspeitos estavam vestidos com cocaína. Foto: Divulgação - Suspeitos estavam vestidos com cocaína. Foto: Divulgação

Três bolivianos que saíram de Mato Grosso do Sul ‘vestidos’ com cocaína que seria entregue em São Paulo foram presos na manhã desta quinta-feira (19), pela Polícia Militar Rodoviária em Presidente Prudente. O flagrante aconteceu na rodovia Raposo Tavares (SP-270), durante abordagem a um ônibus cujo o percurso teve origem em Corumbá, na fronteira com a Bolívia. 

Durante a vistoria de rotina no interior do coletivo, a equipe notou estado de nervosismo em alguns dos passageiros, bem como um volume exacerbado em suas regiões abdominais, fato este que motivou uma busca pessoal minuciosa, em pertences pessoais e no compartimento de bagagem. Eles estavam com o tronco coberto por uma embalagem que armazenava a droga.

Com o passageiro ocupante da poltrona 22, no qual apresentou documento pessoal em nome de um homem de 41 anos morador em Santa Cruz de La Sierra, foi localizada uma manta de cocaína com 2,4 quilos da droga. Questionado, disse que pegou a carga em Corumbá e teria como destino a Cidade de São Paulo (SP). Pelo serviço receberia a quantia de R$ 1 mil. Os policiais descobriram que a identidade dele era falsa.

Com a passageira ocupante da poltrona 23, de 24 anos, moradora em Cochabamba, foram encontradas 84 cápsulas que pesaram 1,1 quilo. Ela disse que receberia R$ 1,2 mil para levar a carga de Corumbá a São Paulo. Por fim, uma mulher de 32 anos moradora em Cochabamba levava 2,4 quilos que também seriam entregues em São Paulo, por R$ 1 mil.  Diante dos fatos, o grupo foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil.

Jornal Midiamax