Polícia

Assaltante morto em troca de tiros com PM cumpria ordem de detento

O roubo a um caminhão que acabou em troca de tiros e um assaltante morto, Alexandre Tavares de Araújo, de 17 anos, na noite da última sexta-feira (26), na Avenida Calógeras, em Campo Grande teria sido ordenada de dentro do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande. O detento que teria dado a ordem foi […]

Thatiana Melo Publicado em 29/04/2019, às 10h03 - Atualizado às 16h53

Foto: Marcos Ermínio
Foto: Marcos Ermínio - Foto: Marcos Ermínio

O roubo a um caminhão que acabou em troca de tiros e um assaltante morto, Alexandre Tavares de Araújo, de 17 anos, na noite da última sexta-feira (26), na Avenida Calógeras, em Campo Grande teria sido ordenada de dentro do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande.

O detento que teria dado a ordem foi identificado como Anderson Clayton Biason – ele é marido da dona da pousada Vicencia Correa de 54 anos, que negou que estivesse envolvida no crime, mas foi Anderson quem ligou para a esposa de dentro do IPCG (Instituto Penal de Campo Grande) pedindo para que reservasse um quarto, que seria usado como cativeiro para o motorista de 27 anos.

Inclusive, ela teria dito aos policiais saber do cárcere privado,já que teria levado água para Alexandre e emprestado o seu celular para que o adolescente fizesse ligações durante o andamento do roubo. Quando os militares chegaram a pousada, na noite de sexta (26), ela negou ter hóspedes no local.

Mas, em uma verificação os militares que receberam a denúncia do roubo entraram no local armados com pistolas e submetralhadoras. No corredor do local, Alexandre fez disparos contra os policiais que revidaram o acertando. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu no hospital.

Passam por audiência de custódia nesta segunda-feira (29) Vicencia Correa, sua nora Patrícia Kelly de 28 anos, que mentiu também não saber dos hóspedes no local, e o irmão de Alexandre, outro adolescente envolvido no crime e Hernani David de Souza de 35 anos.

Jornal Midiamax