Polícia

Anotações de idoso revelam esquema de tráfico interestadual de cocaína

Carregamento de 101 quilos de cocaína apreendido ontem pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), com um idoso de 68 anos que viaja com um adolescente, pode pertencer a uma quadrilha de traficantes interestaduais. Anotações encontradas com o suspeito revelaram uma lista de contatos e rotas de viagem realizados previamente. O flagrante aconteceu em Anastácio. De acordo […]

Renan Nucci Publicado em 31/05/2019, às 13h47

Caminhão era usado no transporte da droga.
Caminhão era usado no transporte da droga. - Caminhão era usado no transporte da droga.

Carregamento de 101 quilos de cocaína apreendido ontem pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), com um idoso de 68 anos que viaja com um adolescente, pode pertencer a uma quadrilha de traficantes interestaduais. Anotações encontradas com o suspeito revelaram uma lista de contatos e rotas de viagem realizados previamente.

O flagrante aconteceu em Anastácio. De acordo com a Polícia Civil, durante as investigações, o homem chegou a alegar que o menor era seu neto, mas foi comprovado que eles sequer têm parentesco. Além disso, disseram que era a primeira vez que viajavam juntos, no entanto, eles já tinham estado em outros locais.

Conforme apurado, o motorista foi para Corumbá com um desconhecido colocar a droga no caminhão. O objetivo era chegar em São Paulo. Com ele foi localizado caderno com dados telefônicos e contas bancárias, além de um localizador usado por comparsas para monitorar o transporte da droga. Foi descoberto ainda que o motorista já havia estado no Rio de Janeiro e São Paulo, entregando droga obtida em Mato Grosso do Sul.

A polícia esclareceu que o idoso andava com o adolescente para passar a impressão de família, dizendo que o garoto era seu neto. Com isso, ele acreditava que conseguiria despistar as autoridades. A Polícia Civil de Anastácio continua com as investigações na tentativa de localizar os demais escondidos e desarticular a quadrilha que, ao que tudo indica, opera importando cocaína boliviana.

Jornal Midiamax