Polícia

Acusado de matar ‘amigo’ com tiro no pescoço por causa de venda de casa disse que atirou para não morrer

O acusado de matar com um tiro o pescoço Júnior Cezar Borges da Silva, em uma suposta emboscada, em fevereiro de 2016, disse que atirou contra a vítima para não morrer. Cláudio Felipe Simões Duarte passa por julgamento nesta quinta-feira (31), em Campo Grande. Durante seu julgamento, Cláudio alegou legítima defesa ao atirar contra Júnior […]

Thatiana Melo Publicado em 31/01/2019, às 10h23 - Atualizado às 14h21

Foto: Mariana Rodrigues
Foto: Mariana Rodrigues - Foto: Mariana Rodrigues

O acusado de matar com um tiro o pescoço Júnior Cezar Borges da Silva, em uma suposta emboscada, em fevereiro de 2016, disse que atirou contra a vítima para não morrer. Cláudio Felipe Simões Duarte passa por julgamento nesta quinta-feira (31), em Campo Grande.

Durante seu julgamento, Cláudio alegou legítima defesa ao atirar contra Júnior e atingi-lo no pescoço durante uma briga por causa da venda de uma casa, no Jardim Panorama. Os dois estariam interessados no imóvel.

No dia do crime, ele disse que teria chamado Júnior até a frente da casa em disputa alegando que o vendedor estaria no local para resolver o imbróglio entre eles. Mas, chegando no local o vendedor não estava, momento em que os dois começaram a discutir.

Cláudio alega que Júnior teria dito que ele iria morrer, indo em direção a sua camionete e fazendo menção de pegar algo no porta-luvas e colocando na cintura. No mesmo momento, o autor, então, pegou um revólver que estava em seu carro e efetuou o disparo atingindo a vítima que morreu no local.

Jornal Midiamax