Polícia

Três são presos na fronteira suspeitos de executar policial paraguaio na fronteira

 Três suspeitos de executar o suboficial segundo da Polícia Paraguaia, Diego Maidana Villagra e um homem identificado como Maurício Jara, de 24 anos foram presos na madrugada deste domingo (19), na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã (MS). Segundo informações do site Porã News, Pastor Torres Salazar, 47 anos, Oscar […]

Mariana Rodrigues Publicado em 19/08/2018, às 10h55 - Atualizado às 12h47

None

Três são presos na fronteira suspeitos de executar policial paraguaio na fronteira Três suspeitos de executar o suboficial segundo da Polícia Paraguaia, Diego Maidana Villagra e um homem identificado como Maurício Jara, de 24 anos foram presos na madrugada deste domingo (19), na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã (MS).

Segundo informações do site Porã News, Pastor Torres Salazar, 47 anos, Oscar David Herrera e Ernan Ortiz Arce, conhecido como Galoí, que não tiveram suas idades divulgadas, foram presos após investigações apontarem o trio como suspeitos da execução do suboficial.

Foi realizada busca e apreensão na casa de um dos suspeitos, que fica localizada nas proximidades onde ocorreu a execução. Os investigadores da Direção de Investigação Criminal de Casos Puníveis com o apoio do promotor de justiça Gabriel Segovia apreenderam no local uma pistola da marca Taurus, cartuchos para escopeta do calibre 40, dois carregadores para pistola, oito aparelhos de celular e tabletes de maconha.

Crime

O suboficial segundo da Polícia Paraguaia, Diego Maidana Villagra e um homem identificado como Maurício Jara, de 24 anos, mas que utilizava documento em nome de Elvio Ramon Lopez Paredes foram fuzilados neste sábado (18), por volta das 17h40. O suboficial era segurança policial do Deputado Nacional do Paraguai Robert Acevedo (PLRA).

Segundo informações do Porã News, eles estavam em uma camioneta Toyota Hilux prata, com placas do Paraguai, por uma estrada vicinal da região da Colônia Guavira, a 40 quilômetros da fronteira com Ponta Porã. Pistoleiros, que estariam em outra camioneta prata atiraram e, conforme informações, tentaram fugir, mas acabaram capotando. Em seguida eles foram executados com mais de 60 disparos de pistola e fuzil, conforme Porã News.

Fotos: Porã News

Jornal Midiamax