Três homens são condenados por execução de PM em Três Lagoas

Cleverson Messias Pereira dos Santos, Maicon Gomes de Souza e Marcos Barbosa acusados pela execução do policial militar da reserva Otacílio Pereira de Oliveira, 60, foram condenados nesta quarta-feira (9), em julgamento realizado no Fórum de Três Lagoas, cidade a 325 quilômetros de Campo Grande. Cléverson foi condenado a 39 anos e 5 meses; Maicon […]
| 10/05/2018
- 01:23
Três homens são condenados por execução de PM em Três Lagoas

Cleverson Messias Pereira dos Santos, Maicon Gomes de Souza e Marcos Barbosa acusados pela execução do policial militar da reserva Otacílio Pereira de Oliveira, 60, foram condenados nesta quarta-feira (9), em julgamento realizado no Fórum de Três Lagoas, cidade a 325 quilômetros de Campo Grande.

Cléverson foi condenado a 39 anos e 5 meses; Maicon recebeu pena de 26 anos e 4 meses, e Marcos, 7 anos e 3 meses. Ele foi o único que teve desqualificada a acusação de homicídio qualificado.

Ao todo, 17 pessoas são acusadas pela morte doPM, ocorrida em março de 2013 durante onda de ataques de uma facção criminosa contra forças de segurança do Estado.

Todos são acusados por homicídio qualificado e formação de milícia privada (crime organizado). Para o julgamento desta quarta (9), a Justiça montou um forte esquema de segurança

Estão marcadas para os próximos dias 14, 23 e 30 deste mês, outras três fases do julgamento. De acordo com o site JPNews, João Carlos Olegário da Silva, Jorge Aparecido dos Santos, Cleverson Messias Pereira dos Santos e Jair da Costa Silva, que estão em presídios do Estado, serão julgados na semana que vem.

Posteriormente, vão a julgamento Thiago Cintas Bertalia, Ivan Verdugo Maciel, Michel Cazeto Ortiz, Fernando Rodrigues Monteiro, Jhonatan dos Santos Avelino e Douglas dos Santos Almeida, dia 23, e Luis Felipe Miranda Rios Saito, Fabrício da Silva Almerindo dos Santos, Ederson Santos de Oliveira, Francolino Teixeira da Silva e Fernando Anselmo dos Santos, dia 30.

Execução

Na época, foi apurado pela polícia que o grupo tinha por objetivo cumprir um “salve”, ordem vinda supostamente de um integrante do PCC, detento do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, para executar policiais em Três Lagoas, como demonstração de força da organização criminosa.

Otacílio trabalhava como mototaxista na época em que foi morto. Ele foi morto em uma emboscada, quando chegava em casa, no bairro Osmar Ferreira Dutra, por volta das 23h do dia 6 de março de 2013. Os tiros atingiram as pernas e a barriga do policial, que foi levado ao hospital, mas morreu na madrugada do dia seguinte. (Matéria alterada para acréscimo de informações)

Veja também

Ele alegou que não conhecia as vítimas e nem tinha motivação

Últimas notícias