Polícia

Suposta vítima mantém versão e polícia procura suspeitos de estupro em igreja

Teria sido estuprada por trio

Thatiana Melo Publicado em 19/01/2018, às 12h32

None

Teria sido estuprada por trio

Foi mantida a versão do estupro em uma igreja, na cidade de Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande, pela vítima de 34 anos, que prestou novo depoimento à polícia nesta quinta-feira (18).

De acordo com o delegado que cuida do caso, Claudio Zotto, a polícia continua procurando pelos suspeitos do crime. Zotto não revelou se os laudos médicos já teriam sido entregues à polícia.

Mas, informações preliminares seriam de que os resultados dos exames não indicam violência sexual, além de não indicarem nenhum tipo de machucado pelo corpo da vítima, que disse em depoimento ter sido agredida com socos e chutes pelos autores quando era violentada.Suposta vítima mantém versão e polícia procura suspeitos de estupro em igreja

Contradição x depoimento vigias

Durante o depoimento prestado pelos vigias que fazem a segurança no local negaram a versão da mulher. Um deles contou que por volta das 2 horas da madrugada de quinta (11), ele encontrou a vítima em frente à sua casa, já que ela mora próximo a igreja, pedindo ajuda a ele para pular o muro por que teria sido colocada para fora pelo marido.

Em resposta ao pedido da mulher, o vigia teria dito que este não era o trabalho dele. Ainda de acordo com o ele em nenhum momento teria mencionado o estupro, mas aparentava estar nervosa.

Já por volta das 4 horas da madrugada, em rondas novamente, o vigia viu novamente a mulher em frente à residência de roupão e parecendo fazer uma ligação de um orelhão. Em depoimento, os vigias disseram não ter ouvido pedidos de socorro de ninguém vindo da igreja.

 O estupro

Uma mulher de 34 anos relatou ter sido agredida e estuprada durante seis horas por dois homens, no dia 11 de janeiro, no saguão de uma igreja em Sidrolândia. 

A vítima contou aos policiais que havia saído de casa para comprar cigarro em um posto de combustíveis que fica próximo ao local onde mora, no caminho, ela foi abordada pelo trio que a levou para o pátio de uma igreja na região.

Além de ser xingada, a vítima foi agredida com socos e chutes e foi violentada por dois dos agressores. Mesmo gritando por socorro a mulher ficou em poder dos criminosos durante seis horas, até conseguiu fugir por volta das 4 horas da madrugada.

A vítima disse à polícia que um dos estupradores tem entre 1,60m e 1,70m de altura, é branco, gordo e vestia uma camiseta amarela e bermuda. Os outros dois ela contou que só conseguiu se lembrar que são magros e morenos.

Jornal Midiamax