Polícia

Serralheiro solta bombinha perto de zona eleitoral, é detido e vai parar na Polícia Federal

O serralheiro Vander Acunha Jarcem, de 33 anos, foi detido na manhã deste domingo (28) depois de soltar uma bombinha de R$ 0,35 na esquina da escola Eulália Neto Lessa, no bairro Manoel Taveira, em Campo Grande. Ele contou à reportagem do Jornal Midiamax que foi a um bar perto da sua casa para comprar […]

Patrícia Penzin Publicado em 28/10/2018, às 12h10 - Atualizado em 29/10/2018, às 10h06

Vander Acunha Jarcem posa para foto na sede da PF. Foto: Marcos Ermínio
Vander Acunha Jarcem posa para foto na sede da PF. Foto: Marcos Ermínio - Vander Acunha Jarcem posa para foto na sede da PF. Foto: Marcos Ermínio

O serralheiro Vander Acunha Jarcem, de 33 anos, foi detido na manhã deste domingo (28) depois de soltar uma bombinha de R$ 0,35 na esquina da escola Eulália Neto Lessa, no bairro Manoel Taveira, em Campo Grande.

Ele contou à reportagem do Jornal Midiamax que foi a um bar perto da sua casa para comprar cachaça e acabou comprando uma bombinha.  Quando passava em frente à escola, que é um local de votação, disse que sentiu vontade de soltar a bombinha. E soltou.

Ele foi rapidamente abordado por policiais militares que faziam a segurança do local de votação. Com ele, os policiais encontraram um litro de corote ainda lacrado. O serralheiro foi detido, levado para a Polícia Federal e autuado por perturbação.

Vander disse que seu ato não tem nenhuma motivação eleitoral. “Odeio eleição porque você cumpre um compromisso com outra pessoa, mas que não tem garantia nenhuma de que ela vai fazer alguma coisa”, disse à reportagem.

Calmo, depois de prestar depoimento a uma delegada da Polícia Federal, ele contou à reportagem que “chegou a brigar com os policiais”. “Me agarraram e só tivemos uma luta corporal”, afirmou.

Depois do depoimento, disse que ficou indignado porque vai ter que voltar a pé para casa. “Pô, o pessoal (PM) traz a gente e não leva de volta!”, disse.  No Termo de Compromisso de Comparecimento que assinou junto à PF, Vander escreveu: “Zica é nóisss”.
Mas Vander vai ter que voltar ao Cartório da Justiça Eleitoral, no Parque dos Poderes, dia 9 de novembro para prestar esclarecimentos sobre o seu ato.
Serralheiro solta bombinha perto de zona eleitoral, é detido e vai parar na Polícia Federal

Jornal Midiamax