Polícia

PM que matou adolescente durante blitz é condenado a 12 anos de prisão

 Ocorrido na noite do dia  21 de maio de 2013

Diego Alves Publicado em 26/01/2018, às 02h00

None

 Ocorrido na noite do dia  21 de maio de 2013

O soldado da Policía Militar, Nader Cáceres Charif de 28 anos, foi condenado a 12 anos de prisão em regime fechado por ter matado o adolescente Alessandro Molina, de 17 anos, durante uma blitz no final da noite do dia  21 de maio de 2013, na Rua Pedro Ângelo da Rosa em Ponta Porã, cidade a 325 quilômetros de Campo Grande. PM que matou adolescente durante blitz é condenado a 12 anos de prisão

O Júri Popular aconteceu nesta terça-feira (23) no Fórum de Dourados e a sentença foi dada pelo juiz da 3ª Vara Criminal de Dourados, César de Souza Lima. 

Segundo o MPE (Ministério Público Estadual), “o homicídio se deu mediante recurso que dificultou a defesa da vítima – à traição – já que Nader efetuou os disparos contra as costas da vítima , enquanto esta se afastava do local e não oferecia risco”.

Ainda de acordo com a denúncia, Alessandro voltava do trabalho em uma motocicleta estrangeira com outro adolescente na carona. Ao ver a blitz,  “Alêeh” como era conhecido, pediu para que o colega descesse e, depois, fez uma manobra de retorno para fugir. 

Nesse momento, o policial correu atrás do motociclista e efetuou disparos. Um tiro acertou as costas do adolescente. Outro tiro atingiu a mochila do rapaz onde ficou alojada, sendo que o projétil foi encontrado posteriormente. O jovem ainda chegou a percorrer por uns cem metros com a moto antes de cair ao solo e morrer no local.

Na época, o policial alegou no boletim de ocorrência, que após o adolescente desembarcar, Alessandro fez uma manobra brusca, e seguiu em direção a ele, que se jogou ao solo para não ser atropelado, momento em que efetuou os disparos. Esses fatos foram desmentidos por testemunhas.

Em janeiro do ano passado, desembargadores da 3ª Câmara Criminal do TJMS (Tribunal de Justiça) mantiveram a acusação de homicídio qualificado contra o PM e com isso, ele foi levado a Júri Popular. A defesa do policial entrou nesta quinta-feira com um recurso de apelação contra a sentença.

Jornal Midiamax