Polícia

Pistoleiro suspeito de matar policial na fronteira tem liberdade concedida

Marcio Ariel Sanches Gimenez, conhecido como ‘Aguacate’, suspeito de assassinar o policial Wescley Vasconcelos, de 37 anos, no dia 6 de março deste ano em Ponta Porã, teve a liberdade concedida. Ele ficou preso por duas semanas, em Capitan Bado, fronteira com o Paraguai. A liberdade de ‘Aguacate’ veio depois que uma testemunha não teria […]

Thatiana Melo Publicado em 06/09/2018, às 07h09 - Atualizado às 14h12

None

Marcio Ariel Sanches Gimenez, conhecido como ‘Aguacate’, suspeito de assassinar o policial Wescley Vasconcelos, de 37 anos, no dia 6 de março deste ano em Ponta Porã, teve a liberdade concedida. Ele ficou preso por duas semanas, em Capitan Bado, fronteira com o Paraguai.

A liberdade de ‘Aguacate’ veio depois que uma testemunha não teria comparecido para depor. A defesa havia pedido a revogação da prisão, que foi concedida pelo juiz de Capitan Bado.

Marcio é apontado como chefe dos sicários (matadores profissionais) e de ser ex-guarda-costas do traficante Jorge Raffat.

Segundo o site Rádio Império, o juiz afirmou que concedeu a liberdade após a testemunha não ter aparecido já que estaria trabalhando em São Paulo.

“Aguacate’ teria ligações com um dos novos chefões do crime organizado na linha internacional, Sérgio Quintiliano Neto, conhecido como ‘Minotauro’.

Jornal Midiamax