Polícia

Número de aves resgatadas de tráfico no Estado chega a 521 em 2017

Em 2017, maioria das aves traficadas eram papagaios

Raiane Carneiro Publicado em 20/02/2018, às 21h59

None

Em 2017, maioria das aves traficadas eram papagaios

A PMA (Polícia Militar Ambiental) divulgou, nesta terça-feira (20), o resultado das ações realizadas em 2017 para combater o tráfico de animais silvestres no Estado. Na maioria dos casos, os animais vítimas das ações são aves, sendo a maioria, papagaios. Em 2017, foram 521 aves resgatadas e o valor em autuações chegou a R$ 290 mil.

De acordo com a PMA, em 2017, das 521 aves recuperadas, 345 eram papagaios, um número que representa 66,22% das apreensões.  Já no comparativo com os dados de 2016, o número total de aves salvas foram 469, sendo apenas 16 papagaios deste número. Em 2015, foram 157 papagaios apreendidos.

Conforme a PMA, o tráfico de animais silvestres em Mato Grosso do Sul se concentra em papagaios. O período mais crítico é entre os meses de agosto e dezembro por ser a época de reprodução destes animais. Durante este período, são feitos trabalhos preventivos em propriedades rurais para prevenir a retirada dos animais e o aliciamento de funcionários de fazendas e assentados pelos traficantes. Por esse tipo de tática, os números de animais apreendidos são variáveis.Número de aves resgatadas de tráfico no Estado chega a 521 em 2017

De acordo com a PMA, a área monitorada para evitar a retirada de animais é a região que constitui as cidades de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo. O principal destino das aves que são levadas é o estado de São Paulo.

Jornal Midiamax