Polícia

Mayara Fontoura foi morta a tesouradas depois de acusado descobrir programas sexuais

Roberson Batista, de 33 anos, passa por júri popular nesta quinta-feira (1º), em Campo Grande pelo assassinato de Mayara Fontoura morta a tesouradas, no dia 16 de setembro de 2017, em sua casa, no bairro Universitário. Em depoimento nesta quinta (1º), Roberson afirmou no dia do crime, a discussão entre o casal teria ocorrido depois […]

Thatiana Melo Publicado em 01/11/2018, às 09h54

Foto: Marcos Ermínio
Foto: Marcos Ermínio - Foto: Marcos Ermínio

Roberson Batista, de 33 anos, passa por júri popular nesta quinta-feira (1º), em Campo Grande pelo assassinato de Mayara Fontoura morta a tesouradas, no dia 16 de setembro de 2017, em sua casa, no bairro Universitário.

Em depoimento nesta quinta (1º), Roberson afirmou no dia do crime, a discussão entre o casal teria ocorrido depois de Mayara afirmar que não iria parar de fazer programas sexuais por que gostava. Ele falou que proporcionava uma vida de luxo para a jovem deixando uma BMW com ela, além de uma moto. Ele ainda teria dado joias para Mayara, que somavam R$ 15 mil. “Resgatei ela, tirei ela desta vida (prostituição). Não tinha motivos para ela ter voltado”, disse ao jurados e juiz.

“Não premeditei nada. Queria uma vida nova com ela. Iriamos viajar para a Europa”, contou Roberson que emprestava dinheiro a juros – agiotagem – para sustentar Mayara como ele disse. Ainda segundo ele, a jovem estava com a tesoura nas mãos no dia do crime depois da briga do casal, sendo que ele tentou tirar dela o objeto.

Depois de assassinar Mayara com tesouradas, Roberson disse ter se ajoelhado ao lado do corpo pedindo perdão. O acusado alegou autodefesa, já que se não tivesse tomado a tesoura de Mayara poderia ele ser assassinado.

Roberson conheceu Mayara em julho de 2015, quando estava foragido do regime semiaberto. Na época ficava com uma garota de programa que era amiga de Mayara. Mas, pouco tempo depois, os dois ficaram juntos. Ele teria dito que Mayara estava se separando do ex-namorado e que os dois viveram um relacionamento intenso: em cinco dias juntos, fizeram uma tatuagem com o nome do outro. Poucos dias depois os dois passaram a morar juntos e ele deu uma moto para Mayara.

Feminicidio

Mayara Fontoura de 18 anos foi assassinada na madrugada de 16 de setembro de 2017, na casa onde morava no Bairro Universitário, em Campo Grande. O suspeito teria invadido a casa da jovem para matá-la, durante a madrugada.

A jovem foi encontrada deitada na cama, enrolada apenas a um edredom, já sem vida. Vestígios de sangue foram encontrados pela polícia no quarto e o banheiro da casa e a arma do crime, uma tesoura, foi deixada pelo autor ao lado do corpo. Mayara vivia com Roberson, o autor do crime, desde 2015.

Jornal Midiamax