Polícia

Investigador sul-mato-grossense morre após sofrer atentado no Paraná

O investigador da DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa) e natural de Dourados, Jorge Fernando Brito, morreu nesta segunda-feira (3) após sofrer atentado no último sábado (1) quando estava na frente da casa de parentes, em Paranaguá. Conforme sites locais, Jorge estava com a namorada, participando de um churrasco com a família, quando […]

Mariane Chianezi Publicado em 03/09/2018, às 18h35 - Atualizado em 04/09/2018, às 15h42

Foto: Reprodução Facebook
Foto: Reprodução Facebook - Foto: Reprodução Facebook

O investigador da DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa) e natural de Dourados, Jorge Fernando Brito, morreu nesta segunda-feira (3) após sofrer atentado no último sábado (1) quando estava na frente da casa de parentes, em Paranaguá.

Conforme sites locais, Jorge estava com a namorada, participando de um churrasco com a família, quando os suspeitos chegaram no local. O policial foi atingido com um tiro na barriga e a namorada dele, que estava sentada no seu colo, foi ferida com um tiro na perna e na bacia. Ela não corre risco de morte.

O atirador se entregou para a polícia no domingo (2). Ele é morador do bairro onde aconteceu o atentado e foi reconhecido pela namorada de Brito. O segundo suspeito também foi preso.

Jorge ainda chegou a ser internado no hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Investigação

Antes de sofrer o atendado, Jorge se envolveu em uma briga com os suspeitos durante uma abordagem em supostos pontos de tráfico de drogas na região.

“Brito discutiu com os meliantes, ele fez abordagem do veículo, teria averiguado, e eles não teriam gostado do que aconteceu. O crime pode ter sido uma retaliação em relação a isso ou pode ser ainda que o Jean, pago por alguma facção ou outra pessoa, tenha se aproveitado da situação da briga e tenha executado o Brito”, comentou a delegada Sâmia Coser, que investiga o caso.

Jornal Midiamax