Polícia

Energisa nega demora em caso que levou à morte de trabalhador rural

Vítima sofreu descarga elétrica enquanto tentava religar a rede

Guilherme Cavalcante Publicado em 16/02/2018, às 14h12

None

Vítima sofreu descarga elétrica enquanto tentava religar a rede

A Energisa afirmou, por meio de nota, que o chamado para reparo da energia na Fazenda Primavera foi atendido no mesmo dia em que foi recebido na central de atendimento, no dia 15 de fevereiro. No mesmo dia, o trabalhador rural Aparecido Oliveira, de 46 anos, morreu eletrocutado após tentar religar a energia elétrica em um poste da fazenda, localizada no km 9 da MS-080, em Campo Grande.

“A Energisa informa que possui equipes capacitadas para o atendimento de ocorrências e restabelecimento do fornecimento de energia elétrica, o mais rápido possível, dentro das regras de segurança vigentes. No caso mencionado pela reportagem, o registro da falta de energia ocorreu ontem (15/2), às 16h, com a chegada da equipe no local às 19h”.

Energisa nega demora em caso que levou à morte de trabalhador rural

A vítima teria tentado fazer a conexão da energia após supostamente sofrer perda de carne e de aproximadamente 700 litros de leite, conforme relato de trabalhador que estava no local do óbito. A Energisa, no entanto, afirma que o pedido de religação ocorreu no mesmo dia do acidente fatal.

Na nota, a concessionária alerta, ainda, para os riscos de manusearem a rede elétrica sem autorização e sem material de segurança adequado e que o autor poderá, ainda, responder criminalmente pelo ato.

“A empresa ressalta que a população nunca deve operar chave da rede elétrica ou religar a chave em casos de falta de energia. Esta atitude representa sérios riscos à segurança, com risco de morte, e o autor pode responder criminalmente por este ato. A Energisa está disponível 24 horas para o registro de ocorrências pelo telefone 0800 722 7272, pela agência virtual no site, aplicativo Energisa On e sua página no Facebook”, conclui.

Jornal Midiamax