Polícia

Seis pessoas foram encaminhadas à Polícia Federal durante votação em MS

Durante o período de votação ao longo deste domingo (28), em Mato Grosso do Sul, a Polícia Federal contabilizou cinco registros de ocorrências em relação às eleições. Entre os crimes eleitorais estão violação do sigilo do voto e boca de urna. Conforme informações da Polícia Federal, logo pela manhã, em Campo Grande, um homem de […]

Mariana Rodrigues Publicado em 28/10/2018, às 18h14 - Atualizado às 18h43

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação

Durante o período de votação ao longo deste domingo (28), em Mato Grosso do Sul, a Polícia Federal contabilizou cinco registros de ocorrências em relação às eleições. Entre os crimes eleitorais estão violação do sigilo do voto e boca de urna.

Conforme informações da Polícia Federal, logo pela manhã, em Campo Grande, um homem de 33 anos foi levado à Superintendência da PF em Campo Grande, após visivelmente embriagado, detonar fogos de artificio e causar tumulto na 35ª Zona Eleitoral, na Escola Eulália Neto Lessa, localizada no bairro Manoel Taveira, Campo Grande. O detido foi enquadrado no artigo 296 da Lei 4737/65 (Código Eleitoral) e liberado após prestar depoimento.

No colégio Dom Bosco em Corumbá, uma técnica de enfermagem de 31 anos, foi flagrada fazendo fotografias de urna no momento da votação. Ela foi enquadrada no artigo 312 do Código Eleitoral.

Por volta do meio dia, na Escola Iracema de Souza Mendonça, no bairro Universitária, em Campo Grande, eleitor que não teve a idade divulgada, foi flagrado tirando fotografia da urna eletrônica durante seu próprio voto.

Uma mulher que atuava como presidente de mesa na Escola Municipal Plinio Mendes dos Santos, por volta das 14h30, enviou mensagem a grupo de rede social, sendo que o conteúdo se compreende que estaria fazendo boca de urna com os eleitores da escola.

O quinto encaminhado à Polícia Federal, foi um homem de 23 anos, por quebra de sigilo da urna. Ele foi flagrado tirando fotografia de urna eletrônica durante seu próprio voto, na Escola Clio Proença, no bairro Guanã, na cidade de Corumbá.

Ás 16h50 na Loja Maçônica Oriente Maracaju, na avenida Calógeras no Centro de Campo Grande, homem que não teve idade divulgada, promoveu desordem que prejudicou os trabalhos eleitorais e foi encaminhado para a sede da Polícia Federal em Campo Grande.

Matéria atualizada às 18h43 para acréscimo de informação.

Jornal Midiamax